Plásticas
0 Comentários

Anestesia na cirurgia plástica: qual a mais indicada?

A consulta com o anestesista irá esclarecer todas as dúvidas e eliminar o receio que muita gente ainda tem das complicações que uma anestesia pode ocasionar. É importante consultar se o mesmo é um profissional especializado e membro da Sociedade Brasileira de Anestesiologia. Depois da consulta, ele deverá levantar todo o quadro clínico do paciente para ter garantias de que pode dar sequência ao procedimento junto ao cirurgião plástico e demais especialistas. Além disso, saberá indicar qual o tipo de anestesia será utilizada.

Peridural

“Realizada entre as vértebras da coluna, pode ser utilizada para cirurgias de tórax, abdômen, braços e pernas. O medicamento é o mesmo da anestesia geral, geralmente associada à sedação, para que a paciente se sinta mais confortável. É justamente a anestesia peridural que será utilizada em cirurgias plásticas como a mamoplastia, lipoaspiração e abdominoplastia. Por ser vasodilatadoras, contribui na prevenção de tromboses”, explica.

Geral

“Tecnicamente trata-se de um coma induzido por medicamentos. A anestesia geral é realizada por via endovenosa (pela veia) e respiratória, promove anestesia do corpo todo e a necessidade de intubação e assistência ventilatória (mecânica). Geralmente esse procedimento é indicado em cirurgias maiores ou onde os bloqueios anestésicos não agem. Possui maior tempo de recuperação e não se faz necessária, na maioria das vezes, em cirurgias plásticas”.

Local

“Como o próprio nome sugere, esse tipo de anestesia age apenas no local onde é realizada a cirurgia. Aplicada na pele, ela é indicada para procedimentos pequenos e em regiões estritas, por exemplo, cirurgias plásticas no rosto. O tempo de recuperação é menor”.

Raquidiana

“Realizada dentro do canal medular (na coluna), ela anestesia toda a região abaixo do ponto onde foi injetada a medicação. Indicada para cirurgias localizadas, que ocorrem apenas nas regiões anestesiadas. Com duração média de até 4 horas, ela permite maior ação do cirurgião em toda a área anestesiada e o paciente não necessita de ajuda de entubação para respirar”.

Fonte: VIX

beijos, Fran
29/07 2018
Escreva seu comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!

Topo