Plásticas
0 Comentários

O umbigo na abdominoplastia

Olá, pessoal! Hoje eu vou falar sobre um assunto que parece um bicho de sete cabeças para
muitas pessoas que desejam passar pela abdominoplastia. Eu, Dr. André Ahmed, trabalhando
tantos anos com cirurgia plástica, vejo inúmeras pacientes dizerem que têm receio do aspecto
final do umbigo na abdominoplastia. O fato de haver uma pequena cicatriz em torno do
umbigo já pode assustar num primeiro momento. Porém, se analisarmos com cuidado toda
essa questão, vamos lembrar que o umbigo por si só já é uma cicatriz por natureza: a cicatriz
umbilical.
Dr. André Ahmed, o que é, na verdade, o umbigo?
Temos que começar a história na vida dentro do útero materno!
O cordão umbilical serve para o suprimento de nutrientes da gestante para o feto. Através
dessa estrutura, também são realizadas as trocas gasosas entre as circulações sanguíneas da
mãe e do bebê, incluindo a passagem de oxigênio e gás carbônico.
Após o nascimento, o remanescente do cordão umbilical é desprendido do corpo, deixando
uma marca naquele local da pele onde ele se inseria: a cicatriz umbilical, ou simplesmente
chamada de umbigo.
Posicionado numa região mais inferior do abdômen, o umbigo desempenha uma importante
função enquanto unidade estética na composição do abdômen.
Ps. Pasmem! Certa vez um paciente me perguntou se eu poderia fazer a abdominoplastia e
deixa-lo sem umbigo! Obviamente que recusei o pedido… rs
Indicação
Muitas pessoas que apresentam pele em excesso no abdômen exibem claramente o aspecto
de flacidez em torno do umbigo, ou seja, uma sobra de pele recaindo sobre ele, o qual fica
escondido em meio a dobras da região adjacente. Essa é a característica do umbigo na maioria
das mulheres candidatas a uma abdominoplastia.
Nas pacientes que tomam a decisão de passar por essa cirurgia, o umbigo resultante da
abdominoplastia exibe uma aparência muito melhor do que aquele original que havia antes de
operar.
Resultado
“ Dr Andre Ahmed, como vai ficar meu umbigo? “
Um umbigo bem confeccionado nessa cirurgia é etapa fundamental para se obter um
resultado harmonioso. Portanto, a técnica operatória apurada e um capricho na forma de se
realizar a sutura são imprescindíveis. Claro que a qualidade de cicatrização do organismo do(a)
paciente também influencia muito. Não preciso nem comentar da importância de se seguir as
recomendações pós-operatórias, o que é fundamental para um bom resultado.

Outra observação importante: o tabagismo influencia negativamente qualquer processo de
cicatrização! Consequentemente, fumantes podem sofrer comprometimento na cicatriz em
torno do umbigo.
Técnica Cirúrgica
Uma dúvida comum entre o público leigo em relação à abdominoplastia convencional: “ dr
Andre Ahmed, o umbigo será retirado de um lugar e colocado em outro?”
A resposta é: NÃO.
O umbigo permanece aderido à parede muscular do abdômen. Em outras palavras, ele fica
inserido na mesma região durante toda a cirurgia. O que acontece na realidade é que a pele
que antes estava localizada acima do umbigo irá descer, sendo tracionada para baixo, devido à
retirada de pele.
Nessa cirurgia, a partir da incisão na “marca do biquíni”, realizamos o descolamento de toda a
pele e tecido subcutâneo, expondo o músculo até quase a transição do abdômen para o tórax.
Mas, nesse descolamento, o umbigo é poupado. Ele não é desinserido do músculo na
abdominoplastia convencional. Obs. Não estamos falando aqui de miniabdômen, ou
miniabdominoplastia, que tem é uma cirurgia mais rara de acontecer, pois tem suas indicações
específicas (assunto para um outro momento).
Portanto, na abdominoplastia clássica, que é a mais realizada no nosso dia-a-dia, o umbigo é
desconectado da pele ao redor de onde estava aderido originalmente, por meio de uma
incisão em torno dele, e permanece inserido ao músculo na sua base.
O descolamento da pele segue para cima. A seguir, tracionamos para baixo toda a pele
descolada, e o excesso de pele e gordura subcutânea são retirados. Então, o seguimento de
pele que estava acima do umbigo é todo esticado para baixo. Uma região específica da pele
que estava acima do umbigo irá descer, e irá coincidir, na nova situação, com a posição do
umbigo.
Será então realizado um novo orifício na pele que desceu e, nesse orifício, o umbigo será
reconectado. Ou seja, ele permanece na mesma posição. A pele que estava lá em cima foi
quem desceu, e nela confeccionamos um orifício para suturar o umbigo original.
Confuso?… rs Deixe essa tarefa para o cirurgião.
Considerações finais.
Enfim… Os resultados conseguidos para o umbigo na abdominoplastia, numa cirurgia bem
conduzida, são muito naturais!
Um umbigo lindo e gracioso na abdominoplastia, com certeza, é a “assinatura” de uma cirurgia
bem sucedida.
Sempre que possível, os(as) pacientes que pretendem se submeter a essa cirurgia devem ser
incentivados a entrarem em contato com outros que já passaram por ela, para que se possa
ter acesso ao grau de satisfação e aos benefícios sentidos por quem, antes da cirurgia, tinha
vergonha de ir à praia, e hoje se vê realizado com seu abdômen, e sem preocupação com o
umbigo!

Eu, Dr. André Ahmed, tenho a minha maneira pessoal de confeccionar o umbigo na
abdominoplastia. É a soma do que aprendi com meus mais velhos, somado com a minha
experiência de tantos casos operados e algumas adaptações que implementei. Tudo isso me
levou ao refinamento técnico para resultar no aspecto final do qual me orgulho de
proporcionar. Uma observação: eu particularmente prefiro deixar um umbigo menor, sempre
que possível, pois assim, pela minha observação, o resultado fica mais natural
Espero poder ter desmistificado um pouco essa questão. Será um prazer sanar outras
eventuais dúvidas!
Para finalizar, uma dica do Dr. André Ahmed para vocês: estejam dentro do peso ideal no
momento da cirurgia! Isso ajuda DEMAIS para se obter um bom resulado.

Escrito por: Dr. André Ahmed

beijos, Fran
21/09 2021
Mamoplastia
0 Comentários

Quem tem silicone pode amamentar?

Quem tem silicone pode amamentar? Essa dúvida é clássica entre as futuras mamães.

E, não é para menos já que, normalmente, estamos lidando com 2 sonhos: silicone e amamentação.

Mas, além de saber se pode amamentar com silicone, outra questão que causa bastante receio é: silicone cai após amamentação. Será?

E, tem ainda a velha indecisão, colocar silicone antes ou depois de engravidar?

Calma, já é hora de acabar com todas essas incertezas!

Confira abaixo as repostas de cirurgiões plásticos experientes para as 11 principais dúvidas sobre amamentar com silicone. Você vai descobrir…

1# Quem tem silicone pode amamentar?

De forma geral, quem tem silicone pode amamentar sim! Principalmente se a prótese for colocada via sulco inframamário. A única ressalva de que o silicone atrapalha a amamentação é quando a prótese é colocada pela aréola ou numa Mastopexia Periareolar. Isso porque, eventualmente, há a possibilidade dos ductos mamários serem danificados.

Nessa situação, pode haver dificuldade na amamentação com silicone. Por exemplo, causando um processo inflamatório na região, chamado de Mastite. Nele, os ductos incham, dificultando a saída do leite.

Casos em que o silicone interfere na amamentação

Na cirurgia periareolar, seja ela uma Mamoplastia de Aumento ou uma Mastopexia, o rompimento dos ductos mamários é apenas uma possibilidade.

Por isso, mesmo nesse tipo de procedimento não é certeza que o silicone interfere na amamentação.

Estamos falando de estruturas microscópicas, que fogem do controle do cirurgião plástico. Por melhor ele seja, não tem como evitar o rompimento.

Porém, um médico experiente jamais indica uma cirurgia areolar quando a mulher tem interesse em ter filhos. Já que, nesses casos, a amamentação com silicone pode sofrer interferência.

2# Silicone cai após amamentação?

Independente de colocar silicone ou não, com o passar dos anos a mama tende a cair.

Não é que o silicone cai após amamentação, mas sim que a mama tende a ficar flácida após esse período. E, popularmente, dizemos que há a queda da prótese de silicone depois de amamentar.

Para você ter uma ideia, gravidez e amamentação são as duas situações que mais contribuem para a flacidez dos seios, independente de ter prótese ou não.

Isso está relacionado com o quanto a mama cresceu nessa fase. Já que, durante a lactação, os ductos mamários aumentam para armazenar o leite na mama. No final desse processo, eles diminuem. Porém a pele esticada não volta e isso gera a flacidez.

É importante lembrar que o silicone após amamentação não sofre nenhum dano ou modificação. O que muda é a pele.

A flacidez também está relacionada com a idade e quando a mulher passa pelo efeito sanfona, engorda muito e depois emagrece.

Como evitar que silicone depois da amamentação caia?

A técnica de silicone por baixo do músculo pode amenizar a queda da mama.

É difícil evitar que o silicone depois da amamentação caia, já que esse é um processo natural. Porém, isso pode acontecer nos casos em que a mulher é magra e engorda pouco na gestação. É raro, mas acontece.

técnica de colocação do silicone por baixo do músculo pode amenizar esse efeito. Isso porque a prótese tende a ceder menos quando está atrás do músculo. Porém, pode ter uma consequência negativa.

3# Prótese de silicone por cima do músculo pode amamentar?

Colocar prótese de silicone por cima do músculo pode amamentar, sim! O plano de colocação do implante não interfere nas glândulas mamárias. Mesmo quando a prótese fica mais próxima delas, como no caso da Subglandular ou da Subfascial.

Então fique tranquila, pois quem coloca silicone pode amamentar nessas situações também.

Vale lembrar que o perfil (Superalto, Alto, Moderado ou baixo) e o formato da prótese (cônico, redondo e oval) também não interferem na amamentação.  A única ressalva é em relação ao tipo de incisão, como mencionamos anteriormente.

4# Colocar silicone antes ou depois de engravidar?

Colocar silicone antes de ter filhos é possível, mas essa solução é indicada para quem está pensando engravidar em longo prazo.

A decisão de colocar silicone antes ou depois de engravidar é algo muito pessoal. Mas no geral, há um consenso de que se você pretende engravidar num curto prazo de tempo é melhor esperar. Ou seja, tenha seu bebê e aproveite muito esse momento. Depois faça a Mamoplastia de Aumento.

Assim, se gerar algum tipo de flacidez nas mamas com a gestação, você aproveita o procedimento e, além de colocar a prótese, já retira o excesso de pele.

Colocar silicone antes de ter filhos é indicado para quem está pensando nisso em médio ou longo prazo. Se esse é o seu caso, seja feliz e turbine seus seios agora! Afinal, pessoas com silicone podem amamentar tranquilamente.

E, se o seio receio é que os seios fiquem flácidos, saiba que, independente de colocar prótese ou não, isso vai acontecer.

5# Posso colocar silicone amamentando?

Não é possível colocar silicone se você ainda está amamentado, é necessário aguardar o fim desse período. Mas não há um tempo exato para colocar silicone após amamentação.

Depois que você deixa de amamentar, é preciso esperar a estabilização dos níveis hormonais gerados durante a lactação e gestação. Seu corpo precisa parar de produzir leite. O ideal é aguardar de 3 a 4 meses para garantir que o leite secou completamente.

6# Coloquei prótese de silicone, quando posso engravidar?

Após colocar prótese de silicone, é preciso aguardar seu corpo se recuperar para poder engravidar.

Após colocar prótese de silicone você deve aguardar pelo menos 4 meses para engravidar. Pois, apesar de não ter problema na amamentação com prótese de silicone, é preciso lembrar que seu corpo está se recuperando de um processo cirúrgico.

Por isso, nesse momento, é melhor não associar silicone e amamentação.

Para evitar estrias, o ideal é esperar um pouco mais para engravidar, cerca de 6 meses. Já que as glândulas mamárias irão aumentar o tamanho da mama com a prótese recém-colocada.

7# Silicone e amamentação: é preciso trocar a prótese depois de amamentar?

A Prótese de Silicone não interfere no processo de amamentação.

É possível amamentar com prótese de silicone e, assim como o implante não interfere nesse processo, ele também não sofre nenhum dano quando a mulher amamenta.

O que acontece são alterações na mama, como o seu aumento para a produção e armazenamento de leite.

Com o fim desse período, a mama volta ao normal, mas a pele, normalmente, não. E, isso gera a flacidez. Que, como dissemos anteriormente, vai acontecer com quem tem silicone ou não.

Algumas mulheres aproveitam essa situação para trocar a prótese por uma maior, ocupando a pele que está sobrando.

Outras preferem fazer uma Mastopexia para retirar a flacidez, procedimento que pode ser combinado com a troca da prótese existente ou não.

8# É possível amamentar com prótese de silicone grande?

Na imagem é possível ter uma ideia de como uma prótese grande pode comprimir as glândulas mamárias.

É possível amamentar com prótese de silicone grande. De acordo com especialistas o tamanho do implante não é tão relevante quando o assunto é silicone e amamentação.

Porém, as próteses grandes podem comprimir os canais por onde o leite é transportado e dificultar sua passagem.

É uma possibilidade remota, pois depende da estrutura da mama. Além disso, nosso organismo tem uma enorme capacidade de adaptação.

Toda mulher quando coloca silicone pode amamentar e para evitar qualquer problema, um cirurgião experiente vai indicar os tamanhos adequados.

9# Amamentação com silicone afeta o gosto ou a quantidade de leite produzido?

O sabor do leite não é afetado pela prótese de silicone.

A amamentação com silicone não interfere no gosto ou na quantidade de leite produzida durante a amamentação. Já que a prótese não tem nenhuma ligação com o leite materno.

O implante fica localizado abaixo das glândulas mamárias, não há nenhum contato entre eles. No máximo, a prótese empurra o tecido mamário para frente.

Ou seja, esqueça a ideia de que a prótese de silicone interfere na amamentação, seja no gosto ou na quantidade do leite.

Aliás, vale lembrar que a quantidade de leite produzida está relacionada ao estímulo hormonal que a mulher tem durante a gestação.

10# Pode amamentar com silicone mesmo se ele estourar?

É possível amamentar mesmo se o silicone estourar.

Sim, você pode amamentar com silicone mesmo se ele estourarPorém esse tipo de situação é praticamente inexistente.

implante de silicone é feito com um gel de alta coesividade que não ultrapassa a prótese. No caso de ele estourar, algo que aconteceria com um impacto muito grande (Por exemplo, num acidente de carro), esse gel não seria capaz de interferir no processo de amamentação.

11# Mulher com silicone pode amamentar usando bombinha de tirar leite?

Quem tem silicone pode tirar leite com a bombinha sem problema nenhum.

Sim, mulher com silicone pode amamentar usando uma bombinha de leite. Já que esse tipo de aparelho reproduz a sucção que o bebê faria.

A bombinha de leite não prejudica as próteses mamárias e vice-versa. Independente da intensidade do aparelho ou do modo de uso, considerando que algumas têm função de massagem e até permitem configurar a frequência da sucção.

Pode amamentar com silicone, sim!

Silicone e amamentação são duas experiências independentes, uma não invalida a outra.

Tenho prótese de silicone, posso amamentar? A resposta é sim! Silicone e amamentação são experiências independentes. Uma não invalida a outra.

Quem usa silicone pode amamentar. Mas antes de passar por esse procedimento é fundamental escolher um cirurgião plástico competente e experiente.

Já que ele é o responsável por orientá-la a fazer as melhores escolhas em relação ao tamanho, incisão, formato… Assim, quem tem prótese de silicone pode amamentar sem problema nenhum!

Fonte: Dream Plastic

beijos, Fran
20/09 2021
Plásticas
0 Comentários

O que você precisa saber sobre o Renuvion

Você sabia que existe uma tecnologia que consegue retrair a pele de regiões como abdome, parte interna das coxas, papada, braços e costas, melhorando significativamente a flacidez?

Este é o poder do Renuvion, um aparelho que ao ser introduzido sob a pele gera um jato de plasma capaz de causar essa retração de forma imediata, que segue agindo ao longo de nove meses por meio do estímulo de colágeno ocasionado nas regiões em que é aplicado.

O Renuvion é uma novidade recente, aprovada pela Anvisa e utilizado pelos cirurgiões plásticos que mais se destacam na área de Contorno Corporal no Brasil e no mundo.

E agora chega para elevar o padrão dos nossos resultados cirúrgicos de forma pioneira na região Noroeste do Rio Grande do Sul, passando a fazer parte dos nossos Protocolos para as Cirurgias de Lipoaspiração e Mini Abdominoplastia, além da Abdominoplastia em todas as regiões, exceto o abdome.

O que é o Renuvion?

O Renuvion é um aparelho que parece uma pistola com uma cânula, a qual é introduzida sob a pele da paciente através de um corte igual ao de uma Lipoaspiração, entre 0,5 a 1,0 cm, nas regiões onde se deseja tratar a flacidez. O aparelho mistura gás hélio e radiofrequência, que juntos, geram o que chamamos de jato de plasma.

Como ele funciona?

Ao soltar esse jato de plasma sob a pele, o Renuvion reduz os septos fibrosos que ficam abaixo da pele, ocasionando imediatamente a retração da pele. Porém, além desse efeito imediato, nós também teremos um efeito secundário que ocorre entre 6 a 9 meses de estímulo de colágeno nesta região, o que também vai ocasionar retração de pele e melhorar os resultados finais. Diferente de outros aparelhos, o Renuvion só pode ser utilizado em Bloco Cirúrgico com anestesia geral.

Pra quem ele é indicado e em que regiões podemos aplicar?

Para todo e qualquer paciente que têm alguma queixa de flacidez corporal, como:

– Abdome: pode ser utilizado sozinho ou associado à uma Lipoaspiração ou ainda a uma Mini Abdominoplastia;

– Braços: para tratarmos a flacidez do “tchauzinho”;

– Região interna da coxa: onde a pele fica mais flácida.

– Costas: na região do dorso, onde a flacidez é mais difícil de tratar.

– Papada: queixa bastante comum pela sobra de pele e acúmulo de gordura.

Estudos preliminares apontam uma capacidade de retração cutânea de até 80% na região tratada (efeito variável e que dependente da qualidade de pele da paciente), o que muda por completo a perspectiva de resultados no tratamento de flacidez de pele sem cortes para um patamar que antes inatingível!

Uso do Renuvion sem Cirurgia

Para todas as regiões citadas acima, o Renuvion pode sim ser usado para pacientes que não desejam fazer uma Lipoaspiração, Abdominoplastia ou Mini Abdominoplastia. Mesmo assim, é preciso aplicação de anestesia geral em Bloco Cirúrgico.

Para saber se o Renuvion pode ser indicado para o seu caso, é necessária uma avaliação pessoalmente em consulta.

Fonte: Lucas Sartori

beijos, Fran
16/09 2021
Topo