Plásticas
0 Comentários

Lipocavitação

A lipocavitação, ou simplesmente cavitação, é um tipo de ultrassom com a capacidade de movimentar as células de gordura. A técnica usa as ondas de ultrassom no tecido gorduroso e tem como principal promessa eliminar gordura localizada.

Essa atitude provoca uma espécie de tremor nas células, que acabam sofrendo danos físicos. Com isso, elas se quebram e liberam a gordura do seu interior.

Mas é preciso que o aparelho lipocavitação trabalhe numa determinada frequência de onda, entre 20 e 70 quilohertz. Só assim será possível romper as células de gordura de forma efetiva.

É importante ressaltar que, após a lipocavitacao, a gordura continua no seu organismo e precisa ser consumida. Se isso não acontecer é como se você tirasse a gordura e recolocasse de volta nos mesmos ou até em outros tecidos.

É importante ter em mente uma regra básica: gordura corporal é energia em potencial. Ou seja, o ideal para você gastar essa energia é fazendo exercício físico.

Agora que você já sabe sobre a lipocavitação como funciona, saiba que o procedimento é feito em várias áreas do corpo.

Na lipocavitação, resultados são esperados em várias partes do corpo. Você pode fazer uma lipocavitação focalizada na barriga, nas coxas, nos flancos e costas.

Normalmente, a chamada lipo sem cortes não é feita nos braços, pois pode causar flacidez.

Agora que você já sabe o que é lipocavitação a próxima pergunta mais frequente é: lipocavitação funciona? Depende.

A famosa lipo sem cortes tem a vantagem de reduzir certas medidas. Mas muitas vezes essa redução é mínima, quase que imperceptível.

No meio da enxurrada de tratamentos estéticos, a lipocavitação focalizada nas regiões com acúmulo de gordura acaba se sobressaindo.

Isso porque você tem chance de reduzir algumas medias e é um procedimento indolor.

A lipocavitação, como funciona com a aplicação de um gel antes de passar o aparelho, provoca no máximo uma sensação de aquecimento na região tratada.

Para que a lipocavitação resultados sejam satisfatórios, é fundamental que após as sessões você faça exercício físico. Só assim a gordura liberada no seu organismo terá chance de ser gasta.

Lipocavitação preço sessão pode variar bastante. Têm locais que cobram R$ 600,00 cada sessão, mas você encontra também por R$ 200,00 e até promocionais de R$ 50,00.

Sem contar os pacotes com várias sessões com valores bem baixos. Mas desconfie sempre que a oferta for imperdível. Há equipamentos de ultrassom que não fazem a cavitação, mas são vendidos como aparelho lipocavitação.

No geral, o custo de cada sessão é elevado. Ainda mais porque, para obter algum resultado visível, são necessárias cerca de 6 ou 8 sessões consecutivas, realizadas semanalmente.

O fato é que não é um tratamento barato e, se por acaso você receber uma oferta inacreditável, certifique de não comprar gato por lebre.

Para não cair numa cilada, prefira uma clínica de estética dirigida por um dermatologista filiado à Sociedade Brasileira de Dermatologia. Além disso, assim como na cirurgia plástica, busque indicações de mulheres que já realizaram o procedimento.

Não se deixe enganar, lipo sem corte não existe. Este é apenas um nome comercial usado para vender o tratamento.

A lipocavitação é incapaz de retirar a mesma quantidade de gordura de uma lipo tradicional. Além disso, para ter efeito, é preciso combinar uma alimentação equilibrada e exercícios físicos regulares.

Lipoaspiração de verdade é feita em hospital e com um cirurgião plástico especializado e experiente. Só assim você consegue conquistar o corpo dos seus sonhos, com segurança e o máximo de desempenho.

Para você ter uma ideia, com a lipo tradicional, você elimina cerca de 20 centímetros, em média, de circunferência abdominal. Ou seja, o antes e depois de uma lipoaspiração de verdade faz a diferença no corpo.

Mas é claro, tudo depende do seu biotipo, da quantidade de gordura e de você fazer o pós-operatório direitinho.

Fonte: Dream Plastic

beijos, Fran
30/04 2019
Plásticas
0 Comentários

Diabetes: quais os cuidados em procedimentos cirúrgicos?

1) Quanto mais controlada estiver a glicemia, melhor será a recuperação. Isso porque, quando o diabetes está controlado, o risco de infecção diminui e a cicatrização do procedimento é mais satisfatória. Mesmo em pequenas cirurgias o risco de infecção existe, portanto, evitar tanto hiperglicemia (aumento de glicose) como hipoglicemia (queda de glicose) é fundamental para o processo cirúrgico.

2) Risco cardíaco é menor quando o diabetes está controlado. Isso quer dizer que, apesar de sabermos que ser diabético é um fator de risco para infarto, por exemplo, e isso ser preocupante em um procedimento cirúrgico – quanto mais controlado ele está menor será este risco.

3) Atenção para a Hemoglobina glicada. Para cirurgias programadas, as ditas eletivas, prefere-se um nível de Hemoglobina glicada (exame de sangue comum para o acompanhamento do diabetes) menor que 8,5%. A escolha da melhor hemoglobina glicada para realizar o procedimento, no entanto, pode variar conforme o procedimento que o paciente vai ser submetido e do julgamento do médico que o acompanha.

4) No hospital, é importante manter os cuidados. Durante o período de internação, a equipe médica irá monitorizar a sua glicose. Isso porque é muito importante manter controlados os níveis de açúcar no sangue do paciente e no período do procedimento e do pós-operatório, evitando oscilações. Também cumpra o tempo de jejum exigido para o seu caso e procedimento, e preste atenção aos ajustes de medicação indicados pelo seu médico para este período para evitar as oscilações.

5) Verifique se o hospital está preparado. É muito importante que o paciente diabético saiba se o hospital tem uma equipe treinada para atender pessoas com diabetes em internação. Oscilações dos níveis de glicose são esperadas e ter protocolos de atendimento (com insulina, por exemplo, caso a glicemia suba) torna mais fácil de manejar estas situações.

Fonte: Minha Vida

beijos, Fran
25/04 2019
Plásticas
0 Comentários

Existe um peso ideal para fazer cirurgia plástica?

Se você quer fazer uma abdominoplastia, lipoaspiração ou até mesmo colocar silicone, é normal querer saber qual o peso ideal.

Algo muito comum também é a insatisfação com o seu corpo, ter como principal motivo o excesso de peso. Especialmente quando ele é proveniente de gestações, efeito sanfona, sedentarismo ou má alimentação.

A grande dúvida é: o peso ideal é um fator que interfere no resultado?

A resposta é sim! Entretanto, estar no peso ideal não implica somente em melhores resultados, mas também oferece benefícios significativos para a sua saúde. Então…

Como saber meu peso ideal?

Para muitas mulheres a realização de uma cirurgia plástica pode depender de uma condição um tanto desafiadora: retornar ao peso certo. Ou pelo menos próximo a ele.

Esta condição é exigida por muitos cirurgiões, principalmente, por aqueles que buscam uma cirurgia mais segura e melhores resultados.

Mas como saber se estou no peso ideal?

É simples, basta fazer um cálculo de IMC. O Índice de Massa Corporal vai ver se o peso está ideal com a altura.

Ou seja, para ver peso ideal você terá que dividir a medida total da sua massa (kg) pela sua altura (metros) elevada ao quadrado. Para facilitar o processo, use a calculadora abaixo:

O resultado dessa conta para saber o peso ideal pode indicar, por exemplo, se você está com sobrepeso ou baixo peso.

Considere o IMC apenas como um ponto de partida, pois quem fará a avaliação correta será um médico especialista. Já que ele vai analisar uma série de outras medidas e características para saber qual peso ideal.

A partir do IMC é possível verificar se os níveis de gordura e peso estão dentro do recomendado. Quando o índice está acima do padrão indicado, então quer dizer que você está acima do peso (veja na imagem).

Algumas pessoas podem apresentar doenças, como diabetes e hipertensão, logo na etapa nomeada como acima do peso. Isto porque a gordura aumenta o risco de desenvolver várias doenças.

Se esse for o seu caso, reveja e melhore seus hábitos!

Fonte: Dream Plastic

beijos, Fran
23/04 2019
Topo