Mamoplastia
0 Comentários

Silicone é a melhor solução para a flacidez dos seios após a amamentação?

Pode amamentar com silicone? Seio com prótese 'cai' após gestação ...

O desejo de que os seios fiquem iguais ao que eram antes de engravidar ou até maiores, é comum na maioria das mães. O médico deve analisar o tipo de pele, a tendência para ganhar peso e acumular gordura, o tipo físico e assim você pode escolher entre esperar uma próxima gravidez ou colocar a prótese depois da amamentação. Como as chances de os seios caírem existem mesmo com o silicone, melhor esperar ter o segundo filho, se for esse o caso. E para que a amamentação não seja prejudicada, o especialista deve colocar a prótese entre a pele e a musculatura. Se você tiver muita flacidez, o implante deve ser feito atrás da musculatura e, nesse processo, alguns dutos mamários podem ser cortados.

Fonte: Minha Vida

beijos, Fran
07/04 2020
Mamoplastia
0 Comentários

Pode amamentar com silicone?

No geral quem tem silicone pode amamentar. Isto porque o implante é feito com um gel de alta coesividade que não ultrapassa a prótese.

Além disso, ele fica abaixo da glândula mamária. Portanto, não tem nenhum contato com o leite.

Porém, para ter certeza que a prótese de silicone não interfira na amamentação, é preciso tomar alguns cuidados. Por exemplo, não escolher um implante maior que o recomendado pelo cirurgião, O cirurgião vai indicar próteses com tamanhos adequados. Isto porque ao optar por uma maior que a recomendado, há o risco do silicone comprimir os canais por onde o leite é transportado e dificultar sua passagem. Apesar de ser uma possibilidade remota, pois nosso organismo tem uma enorme capacidade de adaptação, ela existe. Não fazer a incisão via areolar. Neste caso, há a possibilidade de corte dos ductos por onde o leite transita ou que influencia direto na passagem e na produção do leite.

Coloquei prótese de silicone quando posso engravidar?

 

Para quem já colocou os implantes, o recomendável é aguardar pelo menos 4 meses após a cirurgia. Isso para não correr nenhum risco durante a gestação e não prejudicar o aleitamento.

Já para evitar estrias o ideal é esperar cerca de 6 meses. Isto porque durante a amamentação a glândula mamária aumenta de tamanho.

Amamentar e colocar prótese de silicone são experiências independentes. Uma não invalida a outra. Mas se as gestações influenciarem no formato das suas mamas, a cirurgia plástica existe para resolver este problema.

 

Fonte: Dream Plastic

beijos, Fran
31/10 2018
Mamoplastia
0 Comentários

O Silicone e a amamentação

amamentar-mov-mae-01

A prótese de silicone, em geral, eleva a autoestima da mulher, quando ela se sente desconfortável com o tamanho natural dos seios. Até mesmo seus relacionamentos sociais são beneficiados, já que se torna mais confiante e segura. No entanto, sempre surge aquela dúvida: afinal, o implante prejudicará a amamentação? Fique tranquila, a resposta é não.

A mesma inquietação ronda a cabeça de quem se incomoda com mamas de tamanhos muito diferentes ou volumosas. A motivação pode até ser o desconforto nas costas ou nos ombros, na área da alça do sutiã. Com isso, para se sentirem mais à vontade, as mulheres optam pela cirurgia de redução de mama. Quando bem feita, ela também não prejudica a amamentação.

Leite materno garantido

O silicone é colocado atrás da glândula mamária e fica isolado dentro de uma cápsula sólida. O sistema imunológico ainda reforça essa proteção e produz outra cápsula, como se fosse uma bexiga que reveste a prótese. Isso faz com que o material não entre em contato direto com o organismo. O que pode ocorrer é uma perda provisória da sensibilidade em alguma região do mamilo, caso a cirurgia corte algum nervo do local. “Isso é pouco frequente. Mas, mesmo assim, ele será regenerado e não atrapalhará a amamentação. O tempo de recuperação varia de acordo com o tamanho da mama e da extensão da lesão”, explica Ithamar Nogueira, cirurgião plástico do Hospital Santa Catarina (SP).

Pode ser que você já tenha ouvido alguma amiga comentar que teve problemas na amamentação por causa da cirurgia de aumento dos seios. “O que ocorre é que a mulher tenta buscar uma causa e pode relacioná-la ao silicone. Mas a dificuldade no aleitamento deve ser decorrência de algum transtorno emocional, que interfere na produção de hormônios. A prótese não oferece riscos”, diz Marco Cassol, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SP).

Fonte:  Revista Crescer

beijos, Fran
05/11 2017
Topo