Mamoplastia
0 Comentários

Por que fazer uma cirurgia de Mastopexia?

cirurgia de mama

O nosso corpo passa por diversas transformações: de bebê para criança; de menina para mulher. Com o passar dos anos, devido ao envelhecimento natural, as mamas ficam flácidas.
Mas existem alguns fatores que antecipam e podem influenciar ainda mais nesse aspecto de seio caído, como:

  • Alterações hormonais
  • Período de gestação
  • Amamentação
  • Menopausa
  • Oscilações no peso

Como você pode perceber, ter mamas caídas é algo muito comum, mas grande parte das mulheres sofrem com essa situação. E, claro, a autoestima é a mais prejudicada.
A vergonha das mamas é tanta que, muitas vezes, afeta até na relação amorosa com o marido. Já tivemos pacientes com bloqueios na hora H, tudo isso porque não conseguiam se despir na frente do companheiro.
Em contrapartida, existem aquelas que só têm relação sexual com a região das mamas coberta. Ou que só fazem com as luzes apagadas, pois têm medo da reação negativa do seu parceiro.
Com certeza, todas essas situações se tornam um verdadeiro peso. Mas, não tem jeito, nem atividade física consegue resolver o problema. Somente a Mastopexia acaba com o seio caído!

Os fatores que deixam o seio caído

seio caído
  • Envelhecimento: a pele das mamas, assim como a do rosto, também perde a elasticidade, que é a responsável pela sustentação das mamas.
  • Efeito da gravidade: os ligamentos suspensórios que unem a mama à parede torácica enfraquecem e esticam por conta da gravidade.
  • Gestação: as mamas ficam maiores durante esse período e, consequentemente, a pele estica ainda mais. À medida que as mamas diminuem de tamanho após a gravidez, a pele que estava esticada fica flácida.
  • Efeito sanfona: as variações de peso fazem com que os seios aumentem ou diminuem. E isso causa a flacidez da pele, pois quando a gordura diminui, há muita pele para pouco volume.
  • Alterações hormonais: também podem modificar o aspecto das mamas. Esse fator é capaz de fazer a mama cair ou, em alguns casos, inclinar para baixo.

O que é Mastopexia?

O que é mastopexia?
Cirurgia de Mastopexia


A cirurgia de Mastopexia, ou lifting de mamas, tem o objetivo de remodelar e levantar os seios. A técnica é aplicada para reverter o caimento natural presente na região, chamada de ptose mamária (termo técnico para seio caído).
Além disso, a Mastopexia possibilita reposicionar a auréola da mama e alterar o tamanho do bico, caso ele seja muito grande.
O levantamento dos seios se dá com a retirada da pele. Para isso, o cirurgião plástico faz incisões ao redor da aréola, que podem se estender até o sulco mamário.
Fazendo uma comparação da Mastopexia antes e depois, a paciente ganha mamas muito mais bonitas. Pois, a cirurgia consegue devolver a projeção e firmeza a um seio que não era mais robusto.

Quem pode fazer essa plástica nos seios?

lifting de mamas é indicado para mulheres que, geralmente, estão satisfeitas com o tamanho dos seios, mas insatisfeitas com a sua forma.
Então, quem procura essa cirurgia, certamente, está incomodada com a flacidez. Que pode ter acontecido em função do envelhecimento, da variação do peso e da amamentação.

Ptose mamária: os 3 graus de flacidez

cirurgia mastopexia


Agora que já sabe o que é ptose mamária, você precisa conhecer os 3 graus de flacidez. Eles são classificados a partir da análise da posição da aréola comparada ao sulco inframamário (dobra que fica logo abaixo da mama).
A flacidez é considerada como:

  • Grau 1 (leve): a aréola se encontra no nível do sulco inframamário.
  • Grau 2 (moderada): o bico do peito se encontra no nível do sulco inframamário.
  • Grau 3 (acentuado): a aréola está abaixo do sulco mamário e do contorno da glândula.
  • Grau 4 (grave): a aréola se encontra bem abaixo do sulco inframamário, ou seja, está localizado na parte inferior do seio.
  • Pseudoptose: não é considerada uma ptose, porque a aréola está acima do nível do sulco inframamário. Porém, a parte inferior do seio desceu e está abaixo do nível da dobra.

A preocupação é tanta, que algumas mulheres fazem o teste do lápis para saber se de fato os seus seios estão caídos. Para isso, basta colocar um lápis abaixo da mama e verificar se ele fica preso. Se ficar, então você tem seio caído.
Entretanto, somente o médico poderá examinar com exatidão e dizer qual é o seu grau de ptose. A partir desta análise fica mais fácil escolher o procedimento adequado.
Por isso, recomendamos que você marque uma consulta de avaliação com um médico habilitado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

O passo a passo da Mastopexia sem prótese

  • Antes de iniciar o procedimento, o cirurgião limpa a área que será operada e desenha as linhas de incisão.
  • Em seguida, o médico faz um corte em volta da aréola, que em muitas vezes, se estende verticalmente. Outra incisão é feita no sulco inframamário, formando um “T invertido”.
  • O passo mais importante é reposicionar a aréola. A sua posição original é, mais ou menos, na direção do meio do braço. Mas o médico tem uma técnica específica de avaliar qual é o local correto para a aréola de cada paciente.
  • Tendo a aréola como referência, o cirurgião plástico consegue definir qual é a quantidade de pele que deve ser retirada.
  • Então, as incisões são suturadas e aplicam-se os curativos e as bandagens.

Cicatriz Mastopexia T Invertida

Cicatriz Mastopexia T Invertida


As cicatrizes podem ser em forma de T invertido, que é a mais comum, L invertido, cicatriz vertical ou, simplesmente, ao redor das aréolas. O que define o uso de qualquer uma delas será a quantidade de pele e o grau da queda da aréola.
Conheça melhor cada uma das cicatrizes:

  • Mastopexia Periareolar (ao redor da aréola):essa técnica é a menos invasiva, pois envolve somente a incisão na aréola. Mas, é indicada somente para quem tem mamas pequenas e necessitam retirar pouca quantidade de pele.
  • Vertical: a técnica vertical envolve uma incisão que se estende no contorno da aréola. Esse tipo é indicado para mulheres com flacidez de pele leve ou moderada.
  • Cicatriz Mastopexia T invertida:envolve uma incisão maior, que vai da aréola até o sulco inframamário. Outro corte é feito lateralmente na porção inferior da mama. Essa técnica proporciona um maior grau de elevação, por isso é indicada para quem apresenta flacidez acentuada.

A qualidade da cicatriz independe do tipo de incisão, na verdade, o que interfere é a genética de cada paciente. Isto porque, se o organismo tiver predisposição, a cicatriz pode se tornar hipertrófica ou queloidiana.
Vale ressaltar que, a paciente ganha uma mama levantada, só que em troca tem uma cicatriz. As cicatrizes são marcas permanentes, mas após 12 meses, dependendo da genética, elas tendem a ficar quase imperceptíveis.

Mastopexia com prótese é ideal para recuperar o seio caído?

mastopexia com protese

A cirurgia de Mastopexia pode ou não ser associada com a prótese de silicone. Se a paciente tiver interesse em colocar o implante, o médico analisa a possibilidade. Ou seja, se a mama é muito flácida e se há grande quantidade de tecido.
A vantagem de optar por uma Mastopexia com prótese é que o implante dará mais firmeza à mama. Porém, se for colocada uma prótese grande e a pele da paciente não tiver a densidade adequada, os seios podem ceder e a flacidez voltar.
Por isso, os cirurgiões plásticos avaliam bem e, muitas vezes, optam por um pequeno implante colocado atrás do tecido mamário. Portanto, escute bem as recomendações do seu médico, pois ele com certeza quer que você tenha melhor resultado.
Mas essa associação da cirurgia de Mastopexia com silicone traz resultados incríveis. Pois, além de aumentar os seios, também melhora o aspecto do busto e dá firmeza.

Fonte: Dream Plastic

beijos, Fran
26/11 2019
Escreva seu comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!

Topo