Plásticas
0 Comentários

Tendências em cirurgia plástica e tratamentos estéticos para 2020

Foto: Banco de imagens / DINO

A cirurgia plástica e os tratamentos estéticos podem ser uma ótima opção para quem deseja melhorar a aparência em 2020.
A cirurgia estética pode fortalecer e melhorar a aparência da pele, ajustar os recursos faciais, adicionar ou remover pelos e muito mais.

A cirurgia plástica pode ser usada para fins médicos, para pessoas que sofreram acidentes, para restaurar uma parte do corpo ou para reparar cicatrizes de outras cirurgias.

Existem muitos procedimentos disponíveis, e a cada ano muitas novidades são postas em prática. Então, aqui estão listadas algumas tendências em cirurgia plástica e estética para esse ano. Vale a pena conferir:

Tendências e novos procedimentos cosméticos para 2020

Facelift 3D

Um facelift 3D puxa o tecido e a gordura de dentro da parte inferior da face para as maçãs do rosto, adicionando volume sem resultar em uma aparência muito severa — de um facelift tradicional.

Rinomodelação — Modifica o nariz sem cirurgia

A escultura de Rinomodelação é um procedimento moderno de “nariz” que utiliza uma sonda para emitir energia ultrassônica, remodelando os ossos nasais sem danificar a cartilagem ou os tecidos moles.

Esse procedimento cosmético é considerado uma alternativa mais segura e menos traumática à rinoplastia tradicional, com menor tempo de recuperação.

Dermoabrasão

A dermoabrasão é um procedimento de recapeamento da pele que utiliza um dispositivo de rotação rápida para lixar as camadas externas da pele.

Após o procedimento, a pele que volta a crescer é geralmente mais suave e mais jovem.

Além disso, a dermoabrasão pode diminuir a aparência das linhas faciais finas e melhorar a aparência das cicatrizes, como as causadas pela (acne).

Esse procedimento pode ser realizado isoladamente ou em combinação com outros procedimentos cosméticos.

Tendências em cirurgia plástica para 2020

Muitas pessoas possuem o sonho de realizar uma cirurgia plástica, seja para corrigir uma imperfeição ou aprimorar o que já é belo.

O fato é que a maioria das pessoas quer melhorar sua autoestima e, para isso, nada melhor do que começar o ano transformando esse grande desejo em realidade!

Aumento das mamas

O aumento das mamas continua a ser um dos procedimentos cirúrgicos mais procurados, seja porque a mama tem menos volume do que o desejado ou pelas alterações da maternidade.

Com o aumento na seguranças das anestesias, a procura da mamoplastia para aumento dos seios, tornou-se ainda maior.

Blefaroplastia — Cirurgia palpebral

Cabe considerar a blefaroplastia se as pálpebras caídas ou flácidas impedirem que os olhos se abram completamente, ou abaixem as pálpebras inferiores. Remover o excesso de tecido das pálpebras superiores pode melhorar a visão.

A blefaroplastia das pálpebras superior e inferior também pode fazer com que seus olhos pareçam mais jovens e mais alertas.
Lipoaspiração

A lipoaspiração é realizada através da inserção de um longo tubo de metal chamado (cânula) através de pequenas incisões para afrouxar a gordura indesejada antes de ser removida com sucção a vácuo.

Há uma variedade de técnicas de lipoaspiração, incluindo lipoaspiração tumescente e lipoaspiração a laser.

Durante a lipoaspiração tumescente, a área tratada é infundida com uma solução que ajuda a contrair os vasos sanguíneos para ajudar a minimizar contusões e desconforto pós-operatório, facilitando a remoção de gordura.

A lipoaspiração a laser incorpora o ultrassom para ajudar a quebrar a gordura antes de ser removido e pode ter um efeito de aperto da pele que pode ser especialmente benéfico para pessoas com uma pequena perda de elasticidade da pele.

Abdominoplastia

Com várias técnicas para tratar o excesso leve ou grave de pele e flacidez muscular, a abdominoplastia pode entregar um abdômen plano e tonificado, especialmente após a perda de peso significativa.

Frequentemente realizada em conjunto com o aumento dos seios, como parte de um “upgrade geral”, uma cirurgia plástica de abdominoplastia proporciona uma melhora dramática na aparência da seção intermediária que infelizmente não consegue ser alcançada somente com uma dieta saudável e exercícios regulares.

Ninfoplastia — Cirurgia plástica íntima

Talvez a maioria das pessoas não saiba, mas o Brasil é o campeão em cirurgias plásticas na região íntima. Embora muitas mulheres busquem esse tipo de procedimento por razões estéticas, em alguns casos essa procura envolve fatores relacionados à saúde.

Dependendo do tipo de cirurgia íntima, ela também pode resolver problemas como falta de prazer na relação sexual, perda de urina, dores durante o sexo e em alguns casos, incômodo até mesmo para caminhar.

Portanto, há razões de sobra para buscar esse tipo de procedimento.

Como escolher o cirurgião plástico

Investir na aparência é uma ótima decisão. Por isso, é importante estar bem informado sobre todas as etapas do procedimento escolhido. Esse cuidado trará mais segurança em todas as etapas da cirurgia.

Escolher um cirurgião plástico certificado pela SBCP é imprescindível. Ele pode ajudar a explorar as opções disponíveis e escolher a alternativa ideal para cada caso.

As perguntas sugeridas abaixo também podem servir como orientação para obter o máximo de proveito na 1ª consulta antes de uma cirurgia plástica e devem ser feitas para o profissional escolhido.

Quantas vezes você realizou esse procedimento cirúrgico?

Em quanto tempo verei os resultados?
Quanto tempo os resultados durarão?
O que preciso fazer para me preparar para o procedimento?
Como será o procedimento em detalhes?
Como será a recuperação?

Somente um cirurgião ético e experiente poderá indicar qual tratamento cirúrgico ou estético é mais adequado para você.

Fonte: Terra

beijos, Fran
21/02 2020
Plásticas
1 Comentário

Anestesia geral – Riscos

A anestesia geral é uma técnica anestésica que promove abolição da dor (daí o nome anestesia), paralisia muscular, abolição dos reflexos, amnésia e, principalmente, inconsciência.
A anestesia geral faz com que o paciente torne-se incapaz de sentir e/ou reagir a qualquer estímulo do ambiente, sendo a técnica mais indicada de anestesia nas cirurgias complexas e de grande porte.

COMO É FEITA A ANESTESIA GERAL?

A anestesia geral possui quatro fases: pré-medicação, indução, manutenção e recuperação.
A fase de pré-medicação é feita para que o paciente chegue ao ato cirúrgico calmo e relaxado.Normalmente é administrado um ansiolítico (calmante) de curta duração, como o midazolam, deixando o paciente já com um grau leve de sedação. Deste modo, ele entra na sala de operação sobmenos estresse.

A fase de indução é normalmente feita com drogas por via intravenosa, sendo o Propofol a mais usada atualmente. Após a indução, o paciente rapidamente entra em sedação mais profunda, ou seja, perde a consciência, ficando em um estado popularmente chamado de coma induzido (leia:COMA INDUZIDO). O paciente apesar de estar inconsciente, ainda pode sentir dor, sendo necessário aprofundar ainda mais a anestesia para a cirurgia poder ser realizada. Para tal, o anestesista também costuma administrar um analgésico opióide (da família da morfina) como o Fentanil.
Neste momento o paciente já apresenta um grau importante de sedação, não sendo mais capaz de proteger suas vias aéreas das secreções da cavidade oral, como a saliva. Além disso, na maioria das cirurgias com anestesia geral é importante haver relaxamento dos músculos, fazendo com que a musculatura respiratória fique inibida. O paciente, então, precisa ser intubado* e acoplado a ventilação mecânica para poder receber uma oxigenação adequada e não aspirar suas secreções.

* Em algumas cirurgias mais rápidas, ou que não abordem o tórax ou o abdômen, pode não ser necessária intubação, ficando o paciente apenas com uma máscara de oxigênio.

No início da fase de manutenção as drogas usadas na indução, que têm curta duração, começam a perder efeito, fazendo com que o paciente precise de mais anestésicos para continuar o procedimento. Nesta fase, a anestesia pode ser feita com anestésicos por via inalatória ou por via intravenosa. Na maioria dos casos a via inalatória é preferida. Os anestésicos são administrados através do tubo orotraqueal na forma de gás (vapores) junto com o oxigênio, sendo absorvidos pelos alvéolos do pulmão, passando rapidamente para a corrente sanguínea. Alguns exemplos de anestésicos inalatórios são o óxido nitroso e os anestésico halogenados (halotano, sevoflurano e desflurano), drogas administradas continuamente durante todo o procedimento cirúrgico.
A profundidade da anestesia depende da cirurgia. O nível de anestesia para se cortar a pele édiferente do nível para se abordar os intestinos, por exemplo. Conforme o procedimento cirúrgico avança, o anestesista procura deixar o paciente sempre com o mínimo possível de anestésicos. Uma anestesia muito profunda pode provocar hipotensões e desaceleração dos batimentos cardíacos, podendo diminuir demasiadamente a perfusão de sangue para os tecidos corporais.

Quando a cirurgia entra na sua fase final, o anestesista começa a reduzir a administração dasdrogas, já planejando uma cessação da anestesia junto com o término do procedimento cirúrgico. Se há relaxamento muscular excessivo, drogas que funcionam como antídotos são administradas. Nesta fase de recuperação, novamente analgésicos opioides são administrados para que o paciente não acorde da anestesia com dores no local onde foi cortado.

Conforme os anestésicos inalatórios vão sendo eliminados da circulação sanguínea, o paciente começa a recuperar a consciência, passando a ser capaz de voltar a respirar por conta própria. Quando o paciente já se encontra com total controle dos reflexos das vias respiratórias, o tubo orotraqueal pode ser retirado. Neste momento, apesar do paciente já ter um razoável grau de consciência, ele dificilmente se recordará do que aconteceu nesta fase de recuperação devido aos efeitos amnésicos das drogas.

Fonte: mdsaúde/http://www.mdsaude.com/2010/10/anestesia-geral.html

beijos, Fran
18/01 2019
Plásticas
0 Comentários

Seroma o que é? Como se trata?

seroma PAINT

QUALQUER CIRURGIA pode causar um acúmulo de líquido abaixo da cicatriz chamado SEROMA.  Esse líquido é uma mistura de plasma e linfa que, devido à operação, está temporariamente fora da circulação se acumulando no sob a pele. ️Geralmente é translúcido, claro, amarelado ou avermelhado. É muito comum em cirurgias com descolamentos extensos de pele como Plásticas de Abdome, mamas, inclusão de implantes de silicone, expansores, retalhos para cirurgia reparadora e cirurgia em ex obesos. Sempre que se descola a pele dos tecidos profundos, há formação de um espaço vazio que será aderido novamente com a cicatrização. Enquanto essa aderência não acontece, ou seja, nas primeiras semanas de pós operatório, pode acumular seroma. Para minimizar o seroma, usamos drenos de aspiração, cintas compressivas, placas de espuma, curativos, drenagem linfática… Mas se mesmo assim, houver acúmulo de líquido localizado, este pode ser puncionado com uma seringa sob anestesia local.

Pode acontecer também de o seroma ficar acumulado por muito tempo e o corpo formar uma cápsula ao seu redor. Nesses casos, pode ser que a formação de líquido se mantenha apesar das retiradas repetidas. Na maioria das vezes, o seroma se resolve espontaneamente. Mas se isso não acontecer, existe a possibilidade de infectar ou se tornar crônico. Nessas situações, há indicação de tratamento com antibióticos e re intervenção cirúrgica. A principal recomendação é: fique tranquilo, siga as orientações e confie no seu cirurgião se ele estiver lhe dando a devida atenção. Um cirurgião plástico bem formado SABE lidar com intercorrências. Somos preparados para cuidar.

Fonte: Dra Barbara Rosas

beijos, Fran
01/03 2018
Topo