Mamoplastia
0 Comentários

Silicone – 400 ml Eurosilicone

  • Data da cirurgia 18/12/2017
  • Coloquei 400ml
  • Eurosilicone
  • Subglandular
  • Incisão inframamária
  • Tenho 23 anos, 1,68m e 65/66kg
beijos, Fran
24/07 2018
Plásticas
0 Comentários

Dicas para prevenir os riscos da Abdominoplastia

Quando o assunto são os riscos da abdominoplastia recebemos um monte de informações. Algumas são desencontradas, outras assustadoras e muitas só nos fazem ter certeza de uma coisa: que ainda temos bastante a descobrir.

E logo aparecem casos de abdominoplastia que deram errado ou abdominoplastia que não deram certo, fotos e mais fotos estranhas. Mas, calma, não precisa ficar impressionada.

Isto porque na realidade as coisas não são bem assim. E com alguns cuidados básicos você consegue prevenir as complicações da abdominoplastia.

#1 Escolha um Cirurgião Plástico Especializado e Experiente

Assim você NÃO aumenta os riscos porque o médico é incapaz de dar as devidas orientações ou fazer os diagnósticos certos das suas condições de saúde.

#2 Confirme se na clínica você tem direito à consulta prévia com o anestesista

Isto é garantido por lei! Assim você NÃO corre risco de ter alguém responsável pela sua vida que não está 100% comprometido.

#3 Opte por uma clínica bem estruturada

O local deve oferecer um ótimo apoio do pré ao pós-operatório. Observe se na clínica há equipes de enfermagem e fisioterapia. Assim você NÃO corre o risco de ficar desamparada no meio do caminho.

#4 Certifique-se que a clínica escolhida opera em ótimos hospitais

Assim você NÃO corre riscos desnecessários de infecção ou pela falta de estrutura, no caso de uma emergência.

#5 Selecione uma clínica com vários cirurgiões especializados

Assim, no caso de férias ou de algum contratempo do seu médico, você NÃO fica sem atendimento de um profissional com a mesma competência do seu cirurgião plástico. 

#6 Verifique se o local escolhido tem boas recomendações

Assim você NÃO corre o risco de cair em ciladas, com clínicas ou médicos que atuam sem prestar um serviço de qualidade e segurança. 

#7 Seja realista com as suas expectativas

Além disso, continue seguindo as indicações do seu médico no pós-operatório. Assim você NÃO perde o foco e reduz muito as complicações da abdominoplastia.

 

Queloide

 

 

Durante a cicatrização da sua abdominoplastia, há a formação de colágeno, proteína responsável por criar uma nova camada de pele.

Quando essa produção de colágeno se dá de forma exagerada, acontece o que chamamos de queloide. Nela o crescimento maior do tecido forma uma cicatriz em alto relevo.

A formação de queloide independe da ação do cirurgião plástico, pois está ligada a pré-disposição genética da paciente. É claro que, quando há conhecimento prévio deste histórico, um bom cirurgião plástico pode reduzir o risco de ocorrer na sua cirurgia.

 

Cicatriz hipertrófica

 

 

A cicatriz hipertrófica é caracterizada por uma formação elevada em relação ao tecido original. Isso também se dá pela produção de colágeno, mas agora quando ela é feita de forma desorganizada.

Apesar do seu tamanho evidente, a cicatriz hipertrófica não ultrapassa o local da lesão. Este tipo de cicatrização também está relacionado com a pré-disposição genética. Mas você pode ter um determinado corte e não apresentar este tipo de cicatriz na sua cirurgia de abdômen.

 

Trombose Venosa Profunda

 

Entre as complicações da abdominoplastia é muito comum lermos sobre a Trombose Venosa Profunda ou a sigla TVP. A doença do sistema cardiovascular é caracterizada pela formação de coágulos sanguíneos (trombos) no interior das veias.

É importante ressaltar que a trombose pode surgir em pessoas que nunca passaram por uma cirurgia plástica. Isto porque não está ligada ao procedimento, mas sim a vários fatores de risco, como:

  • Obesidade
  • Predisposição genética
  • Falta de movimentação
  • Cirurgias e hospitalizações prolongadas
  • Anestesia geral

 

Embolia Pulmonar

 

 

A embolia pulmonar acontece quando uma ou mais artérias dos pulmões ficam obstruídas por um coágulo sanguíneo. Na maioria dos casos os coágulos formam-se nas pernas, ocasionados pela trombose.

Eles se desprendem das veias, percorrem a circulação sanguínea, podendo alcançar os pulmões e causar a embolia pulmonar.

 

Seroma na abdominoplastia

 

 

Na verdade, o seroma na abdominoplastia é considerado algo comum e não uma situação de risco. Isto porque é normal reter líquido após um procedimento com grandes movimentações de tecido.

Parte do processo de cicatrização, o seroma abdominoplastia se aglomera próximo à cicatriz. Ele pode ser absorvido pelo organismo ou expelido em poucas semanas.

Normalmente, o uso de malhas de compressão e sessões de drenagem linfática ajudam a minimizar este desconforto.

 

Deiscência: Abertura de pontos

 

 

Ao falar sobre os riscos da abdominoplastia, a deiscência – abertura espontânea dos pontos cirúrgicos – se dá pela paciente não cumprir o pós-operatório adequadamente.

Ainda mais no caso da abdominoplastia, que exige andar curvada nas primeiras semanas e ficar com as pernas dobradas, apoiadas em travesseiros, ao deitar.

Pequenos esforços podem incidir na abertura de pontos e uma vez abertos não há como fechá-los. O ideal é que você mantenha o local limpo e consulte seu cirurgião plástico.

 

Fechar umbigo

 

 

Na cirurgia do abdômen, um dos grandes receios que as pacientes têm é de fechar o umbigo.

Quando fazemos a abdominoplastia, o umbigo permanece no seu lugar de origem, mas a pele é esticada e o cirurgião precisa fazer uma incisão para torná-lo visível.

Ou seja, o local ao redor passa por um processo de cicatrização e, no caso da pessoa ter tendência de criar queloide ou cicatriz hipertrófica, existe a possibilidade dessa incisão fechar.

 

Cigarro

 

 

O fato de você fumar não a impede de operar, mas requer uma atenção especial para evitar complicações da abdominoplastia. Por exemplo, você deve suspender os cigarros por um determinado tempo, antes e depois do procedimento.

Isto porque os fumantes compõem um grupo de risco sujeito a intercorrências, como a Trombose Venosa Profunda e a Embolia Pulmonar.

 

Sol

 

 

No pós-operatório da sua cirurgia plástica o médico recomenda que você NÃO tome sol em hipótese nenhuma. Esta precaução deve ser tomada porque a exposição solar precoce vai retardar o processo de cicatrização.

 

Hematoma

 

 

Apesar de aparecer na lista de riscos da abdominoplastia, o hematoma na verdade é uma consequência esperada em qualquer cirurgia.

É proveniente de um sangramento efetivo, algum vaso se rompeu e acumulou sangue dentro daquela região operada.  Ao final da cirurgia, o médico faz a cauterização desses vasos.

Porém um esforço maior ou um aumento da pressão arterial pode romper este vasinho.

Na maioria dos casos, os hematomas são absorvidos pelo próprio organismo. É, claro que nos retornos de pós-operatório a equipe faz uma análise da sua evolução, para ter certeza que tudo está dentro do esperado.

 

Necrose de pele

 

 

A necrose nada mais é que a morte de um tecido causada quando eles não recebem quantidade de sangue suficiente. Sua aparência é escura, provocando relevos na pele e abertura de cicatrizes, mas é perfeitamente tratável.

Entre os fatores de risco para o surgimento da necrose de pele podemos citar: tabagismo, diabetes e infecções. Neste último item, para evitá-las, é fundamental que você não se esqueça de tomar os remédios indicados pelo médico e mantenha a higiene da área operada.

Agora que você já conhece as principais complicações da abdominoplastia e o melhor, sabe quais medidas você pode tomar para reduzir ao máximo esses riscos, é mais fácil e tranquilo passar por este processo pré-cirúrgico.

O cuidado e a atenção na escolha da Clínica e do Cirurgião Plástico são básicos, mas você também precisa se comprometer com os cuidados no pós-operatório.

Fonte: Dream Plastic

beijos, Fran
23/07 2018
Plásticas
0 Comentários

A importância da água no pós operatório

agua

A água é fundamental para o ser humano. E diz-se isso não apenas pelo fato de que o homem não consegue se manter vivo se ficar mais do que 3 dias sem beber água, mas também por outros benefícios que dela recebemos. Por exemplo, os mares e oceanos são responsáveis pela produção de 90% do oxigênio existente na atmosfera. A água é a “estrada” de navios, barcos e outras embarcações. O sal que usamos é extraído dos oceanos. Agora, talvez algo que ainda não seja tão conhecido pelas pessoas, é a importância da água para um tratamento estético.

Mexer com o corpo humano, é mexer também com um dos seu principais componentes: a água. A água é parte vital de todos os tecidos do corpo humano. Por isso, quando estamos nos submetendo a um tratamento de cunho estético, que envolve, por exemplo, a cirurgia plástica, é necessário que o paciente siga a risca as instruções do médico cirurgião, mantendo uma alimentação saudável, mas também uma excelente rotina de ingestão de água.

Entre os benefícios que listamos para o corpo durante o tratamento estético, podemos lembrar que a água hidrata o corpo, pele e cabelos, mantém o intestino funcionando com regularidade, auxilia na redução de infecções, pois facilita o transporte de minerais como o ferro (muito importante para fortalecer as defesas de nosso organismo), regula a temperatura do nosso corpo de acordo com a temperatura externa e etc.

Portanto, sempre que se submeter a um tratamento estético, procure informações com o seu médico sobre o consumo de água. Independentemente disso, qualquer pessoa deve sempre manter um saudável e regular consumo de água.

Fonte: Dr. Fabrício Yui

beijos, Fran
21/07 2018
34567
Topo