Plásticas
0 Comentários

Cirurgião Plástico especialista

O cirurgião plástico especialista é um profissional com vasta experiência, e que tem autorização da SBCP para realizar cirurgias plásticas.

Para você ter uma ideia, segundo o Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo), 97% dos médicos processados por erros em procedimentos cirúrgicosnão eram especialistas.

Para ter certeza que a sua clínica contrata apenas cirurgiões especialistas, faça o seguinte:

  1. Entre no site da SBCP
  2. Clique em “Encontre um cirurgião”
  3. Clique em “Buscar”
  4. Preencha as informações do campo de busca, digitando o nome completo ou parcial sem acento.
  5. Selecione a categoria especialista
  6. Selecione o estado no qual o cirurgião plástico trabalha
  7. Clique em “Buscar”

Se aparecer o cadastro do médico, ele é um especialista!

beijos, Fran
26/08 2021
Plásticas
0 Comentários

Tudo sobre a lipoescultura

O que é lipoescultura?

A lipoescultura é uma cirurgia plástica modeladora, na qual é feita a remoção da gordura localizada por meio de uma cânula. Essa gordura aspirada é tratada e colocada em outra parte do corpo, a fim de aumentar o volume da região.

A lipo é indicada para remodelar a silhueta e deixá-la mais harmônica.

Em nenhuma hipótese deve ser realizada para emagrecer.

Pois, a quantidade de gordura a ser retirada é entre 5% e 7%.

Essa porcentagem, para pacientes que desejam emagrecer, não é satisfatória. E remover mais gordura do que o permitido, torna a cirurgia perigosa.

Ah, esse cálculo é feito a partir do IMC (Índice de massa corporal) ideal da paciente, e não do peso atual.

E, quando os médicos desrespeitam essa regra, riscos como o de hemorragia e desidratação aumentam.

Por isso, esta cirurgia não é recomendada para pacientes acima do peso ou obesas.

Enxerto de gordura no glúteo

Lipoenxertia glútea ou enxerto de gordura no glúteo, nada mais é do que a lipoescultura, quando feita a colocação de gordura nas nádegas. Esta técnica permite o aumento e a modelagem do bumbum, sem a utilização de implantes de silicone.

A quantidade de gordura a ser enxertada nos glúteos varia de acordo com cada caso.

E não há limite de gordura a ser enxertada, vai depender da anatomia de cada paciente.

O cirurgião plástico usa um protocolo de contagem para garantir que ambos os lados fiquem com o mesmo volume.

Se você tiver assimetria, o médico, propositalmente, coloca quantidades diferentes para minimizar a desigualdade entre os lados.

Lipoaspiração ou Lipoescultura: qual a diferença entre as duas?

Na lipoaspiração, a gordura pode ser removida de diferentes partes do corpo, e na lipoescultura também. A grande diferença entre essas duas técnicas, é que na lipoescultura a gordura aspirada é aplicada em outra região, para preenchê-la ou aumentá-la.

Para quem não é indicada a cirurgia plástica de lipoescultura?

A lipoescultura com enxerto no glúteo, ou em outras partes do corpo, é contraindicada para pacientes com doenças que NÃO estão sob controle, como:

  • Diabetes
  • Hipertensão
  • Doenças autoimunes

E, como explicamos mais acima, também não será indicada para pacientes obesas ou acima do peso.

Porque, além de aumentar os riscos no procedimento, há um efeito colateral indesejado: a gordura do abdômen é removida, mas fica a flacidez.

Ou seja, a gordura acumulada até some, mas sobra pele.

Deixando a barriga com a aparência enrugada e caída.

Como é feita a lipo escultura?

É feita uma marcação na pele da paciente, no local de onde a gordura será retirada. Em seguida, aplica-se a anestesia e o soro fisiológico. A gordura em excesso é removida e tratada. E depois, injetada nas nádegas ou em outra parte do corpo.

Os anestesistas que trabalham somente com cirurgia plástica, como é o caso dos profissionais da Dream Plastic, optam pela anestesia peridural com sedação.

Esta alternativa anestésica é melhor, quando comparada com a anestesia local e geral, pois:

  • Reduz o sangramento
  • Diminui o risco da Trombose Venosa Profunda
  • Proporciona menos dor para a paciente no pós-cirúrgico

Como é a recuperação da lipoescultura?

O pós-cirúrgico da lipoescultura exige alguns cuidados específicos e o tempo oscila conforme o volume de gordura aspirado. A evolução acontece dia após dia e, em média, após 1 mês você estará livre de restrições. Saiba mais!

Após a cirurgia, é normal ficar ansiosa para ver o resultado final.

Mas antes de alcançar um antes e depois definitivo, é preciso seguir, rigorosamente, as orientações médicas.

Pois, o pós-operatório é o momento no qual a paciente se torna, em parte, responsável pelo resultado da cirurgia modeladora.

Afinal, não seguir as recomendações da recuperação da lipoenxertia glútea, pode afetar a aparência do abdômen e do bumbum.

Geralmente, não será necessário passar a noite no hospital.

Mas é recomendado permanecer internada entre 12 e 24 horas.

Nos primeiros dias da recuperação da lipoescultura de enxerto nos glúteos, você terá que conviver com:

  • Inchaço
  • Manchas de acúmulo de sangue

Em média, estas características desaparecem entre 15 e 21 dias.

Veja abaixo os principais cuidados para você seguir durante o pós-operatório da lipoescultura:

Faça repouso

Você precisa descansar nos primeiros dias após a cirurgia plástica.

Entretanto, não é recomendável ficar o tempo todo de repouso. E em nenhuma hipótese você deve ficar de cama.

Por isso, caminhe pela casa algumas vezes durante o dia. Sempre movimentando as pernas, mas sem realizar esforço físico.

Isso ajuda na circulação do sangue, evitando complicações como a Trombose ou Embolia Pulmonar.

Use a cinta modeladora

Na fase pós-cirúrgica da lipoescultura de enxerto, é importante utilizar a cinta indicada pelo seu médico, durante os primeiros 60 dias.

A cinta pós-lipo  tem um papel importante no antes e depois da lipoenxertia.

Por isso, deve ser usada continuamente, sendo retirada apenas para tomar banho.

Evite esforços

Na recuperação da lipoescultura, você NÃO deve fazer esforços ou pegar peso durante cerca de 30 dias.

E isso inclui atividades físicas, como musculação e aeróbica.

Respeitar este período é importante para não exercer pressão nas áreas de enxerto e prejudicar o resultado e a cicatriz.

O retorno às suas atividades de rotina, que inclui o retorno ao trabalho, deve ser liberado após 14 dias.

A lipoescultura dói muito?

O pós-cirúrgico da lipoescultura dói, assim como o da lipoaspiração. Mas, felizmente, a paciente estará medicada para aliviar o desconforto. Geralmente, a dor permanece entre 7 e 10 dias.

Confira quanto tempo leva a recuperação da lipoescultura!

Resumindo:

Internação24 horas
InchaçoEntre 15 e 21 dias
HematomasEntre 15 e 21 dias
Cinta modeladoraEm média 60 dias
DorEntre 7 e 10 dias
Esforço físicoApós 30 dias
Atividades de rotinaApós 10 ou 14 dias

Como fica a cicatriz da lipoescultura?

A cicatriz da lipoescultura tende a ser pequena e discreta. Com cerca de 1cm de dimensão. Afinal, o corte é feito no formato de pequenos buraquinhos para a passagem das cânulas. Mas, a longo prazo, a cicatriz tende a ficar quase imperceptível.

O enxerto de gordura nos glúteos é reabsorvido com o tempo?

Nos meses seguintes, uma parte do enxerto no glúteo (de 40 a 60%) será reabsorvido pelo organismo. Por isso, o tamanho ficará menor do que no dia da cirurgia. Ou seja, não há muita precisão do volume que ficará no final.

O antes e depois definitivo da lipoenxertia, ou seja, o tamanho final dos glúteos, só é observado após 6 meses.

Isso acontece porque é injetada uma gordura nos glúteos que o corpo, geneticamente, reconhece que não era para estar lá.

Consequentemente, ele absorve e elimina.

Mas fique tranquila, esse reconhecimento não se trata de uma rejeição. E essa é uma das grandes vantagens de fazer o enxerto de gordura nos glúteos, com a gordura da barriga.

Ah, é importante ressaltar que não dá para ter certeza da quantidade exata que será reabsorvida. Pode acontecer em maior ou menor grau.

Diferentemente da prótese de glúteo, em que o volume colocado fica de forma permanente.

Dreno na lipoescultura: usar ou não?

O dreno é usado na lipoescultura para eliminar o seroma e o soro fisiológico que ficam acumulados no pós-imediato da cirurgia.

Além dele, ao longo dos dias, esses líquidos também serão absorvidos pelo sistema linfático e pela cicatriz.

Falando no soro fisiológico, ele também é o motivo para a drenagem linfática ser obrigatória na recuperação da lipoescultura de enxerto nos glúteos.

Visto que ele causa inchaço na região operada.

A drenagem também é importante para:

  • Prevenir e tratar a fibrose
  • Melhorar o resultado final
  • Fazer com que o pós-cirúrgico seja mais tranquilo

Qual é o valor para tirar a gordura da barriga e colocar no glúteo em 2021?

O preço da lipoescultura para tirar gordura da barriga e fazer enxerto no glúteo e em outras partes do corpo, oscila em relação a experiência do cirurgião plásticoa qualidade dos insumos utilizados na cirurgia e a estrutura hospitalar.

Portanto, é importante buscar um equilíbrio entre o preço e o valor da cirurgia plástica modeladora.

Quando eu digo valor, me refiro a qualidade e segurança da clínica e equipe médica envolvida.

Porque de nada adianta escolher pagar barato na lipoescultura e colocar em risco a sua saúde ou ter um resultado feio.

O valor do enxerto no glúteo varia de mulher para mulher.

Sendo assim, é necessário passar por uma avaliação médica presencial para entender quais são as suas expectativas e fazer uma análise do seu corpo.

Mas para você não ficar na mão e começar a se planejar ainda hoje, fizemos uma pesquisa nas melhores Clínicas de Cirurgia Plástica de São Paulo e calculamos a média de valor da Lipoescultura. Acesse o link para conferir!

A lipoenxertia é mais cara do que a lipoaspiração?

Apesar de querer MUITO fazer a lipoescultura, a Stella tinha medo do preço não compensar.

Se livrar da barriga pochete, e poder aumentar o volume da bunda, em uma mesma cirurgia parecia um sonho.

Então, ao passar em consulta com a gente, descobriu o valor exato da lipoenxertia glútea e também o da lipoaspiração.

Apesar de haver um pouco de diferença nos preços, o que a fez se sentir confiante e optar por injetar a gordura nas nádegas foi o seguinte:

O valor não era assim tão diferente e, comparado com a gluteoplastia, bem mais baixo.

Ela percebeu que, já que ia passar por um procedimento cirúrgico, era melhor fazer o que ela realmente queria fazer.

Pois, tinha a certeza que o esforço valeria a pena.

Ia poder se olhar no espelho e se sentir bem.

Sem vergonha ou pensamentos negativos.

Fonte: Dream Plastic

beijos, Fran
23/08 2021
Plásticas
0 Comentários

Como diminuir o risco de trombose após uma cirurgia

Como diminuir o risco de trombose após uma cirurgia

A trombose é a formação de coágulos ou trombos dentro dos vasos sanguíneos, impedindo o fluxo de sangue. Qualquer cirurgia pode aumentar o risco de desenvolver trombose, pois é comum ficar muito tempo parado tanto durante quanto após o procedimento, o que prejudica a circulação. 

Por isso, para evitar a trombose depois da cirurgia é recomendado começar a fazer pequenas caminhadas logo após a liberação do médico, usar meias elásticas​ por cerca de 10 dias ou até quando seja possível voltar a andar normalmente, mexer as pernas e os pés enquanto está deitado e tomar remédios anticoagulantes para impedir a formação de coágulos, como Heparina, por exemplo.

Apesar de poder surgir após qualquer cirurgia, o risco de trombose é maior no pós-operatório de uma cirurgia complexa ou que demora mais de 30 minutos, como cirurgia cirurgia do tórax, coração ou abdômen, como a bariátrica, por exemplo. Na maioria dos casos, os trombos se formam nas primeiras 48 horas até cerca de 7 dias depois da cirurgia, causando vermelhidão na pele, calor e dor, sendo mais comum nas pernas. Confira mais sintomas para identificar a trombose mais rápido em Trombose Venosa Profunda.

Para prevenir a trombose depois de uma cirurgia, o médico poderá indicar:

1. Caminhar assim que possível

O paciente operado deve caminhar logo que tenha pouca dor e não corra risco de a cicatriz romper, pois o movimento estimula a circulação do sangue e diminui o risco de trombos. Normalmente, o paciente pode andar ao final de 2 dias, porém depende da cirurgia e da orientação do médico.

2. Calçar meia elástica

O médico pode recomendar o uso de meias elásticas de compressão ainda antes da cirurgia, que devem ser usadas por um período de cerca de 10 a 20 dias, até que a movimentação do corpo ao longo do dia volte ao normal e já seja possível realizar atividades físicas, retiradas apenas para higiene do corpo.

A meia mais utilizada é a de média compressão, que exerce uma pressão de cerca de 18-21 mmHg, que é capaz de comprimir a pele e estimular o retorno venoso, mas o médico também poderá indicar a meia elástica de alta compressão, com pressão entre 20-30 mmHg, em certos casos de maior risco, como pessoas com varizes grossas ou avançadas, por exemplo. 

As meias elásticas também são aconselháveis para qualquer pessoa que tenha problemas de circulação venosa, pessoas acamadas, que passam por tratamentos restritas ao leito ou que têm doenças neurológicas ou ortopédicas que dificultam a movimentação. Saiba mais detalhes em para que servem e quando usar as meias de compressão.

3. Elevar as pernas

Esta técnica facilita o retorno do sangue ao coração, o que previne o acúmulo de sangue nas pernas e pés, além de diminuir o inchaço das pernas.

Quando possível, é orientado que o paciente movimente os pés e as pernas, dobrando e esticando cerca de 3 vezes ao dia. Estes exercícios podem ser orientados pelo fisioterapeuta ainda no hospital. 

4. Utilizar remédios anticoagulantes

Remédios que ajudam a prevenir a formação de coágulos ou trombos, como a Heparina injetável, que pode ser indicado pelo médico, principalmente quando se trata de uma cirurgia demorada ou que exigirá um repouso longo, como abdominal, torácica ou ortopédica.

O uso de anticoagulante pode ser indicado até quando seja possível andar e movimentar o corpo normalmente. Estes remédios também costumam ser indicados durante uma internação hospitalar ou durante um tratamento em que a pessoa necessite ficar em repouso ou deitada por muito tempo. Entenda melhor a função destes medicamento em o que são anticoagulantes e para que servem. 

5. Fazer massagem nas pernas

A realização de massagem nas pernas de 3 em 3 horas, com óleo de amêndoas ou qualquer outro gel de massagem, também é outra técnica que estimula o retorno venoso e dificulta o acúmulo de sangue e formação de coágulos.

Além disso, a fisioterapia motora e outros procedimentos que podem ser indicados pelo médico, como a estimulação elétrica de músculos da panturrilha e a compressão pneumática externa intermitente, que é feita com aparelhos que estimulam os movimentos do sangue principalmente em pessoas que não conseguem fazer movimentos das pernas, como pacientes em coma.

Fonte: Tua Saúde

beijos, Fran
19/08 2021
Topo