Plásticas
0 Comentários

Cirurgia abdominoplastia, video é apenas uma referência!

Na internet vemos inúmeros videos de abdominoplastia, que mostram diferentes resultados e histórias. Mas é importante ter em mente que essas imagens de antes e depois servem apenas para termos uma referência.

Pois, cada pessoa tem um biotipo diferente, sem contar nos desejos e objetivos de cada paciente.

São vários fatores que influenciam no resultado e para conquistar o melhor você precisa de:

  • Um cirurgião plástico especializado e experiente, assim seu resultado não é prejudicado por alguém sem capacidade técnica.
  • Uma clínica bem estruturada e com boas recomendações, assim você não fica desamparada no pós-operatório.
  • Um hospital com foco em cirurgia plástica para operar, assim você não coloca sua vida em risco.

Esses itens são fundamentais! As clínicas sérias respeitam isso, já que querem oferecer o máximo de segurança e qualidade às suas pacientes.

Quando a gente decide parar de sofrer e se livrar da flacidez abdominal, não tem jeito, queremos ver resultados. Logo, começamos a buscar por fotos e vídeos de cirurgia de abdominoplastia.

E, no quesito video de abdominoplastia há opções para todos os gostos. Depoimentos, explicações técnicas e até cirurgias reais. Algo que, no Brasil, não é permitido.

Isto porque, de acordo com a legislação médica brasileira, os cirurgiões não podem expor suas pacientes como forma de divulgação técnica, método ou resultado.

Porém não tem jeito, ao pesquisar sobre a cirurgia capaz de nos deixar com uma barriga chapada, queremos ver imagens.

Além disso, os vídeos de cirurgia de abdominoplastia podem facilitar o entendimento do processo como um todo.

Assista aos vídeos no link abaixo

Fonte: Dream Plastic

beijos, Fran
05/02 2019
Plásticas
0 Comentários

Abdominoplastia ou lipoaspiração ?

A principal diferença entre os dois procedimentos, segundo Tiago André Ribeiro, médico cirurgião plástico, é que a abdominoplastia retira parte da pele flácida, enquanto a lipoaspiração acaba apenas com a gordura localizada. “Em alguns casos, a lipo pode até acentuar o excedente de pele”, revela. 

Para não errar ao escolher o procedimento, o ideal é realizar várias consultas com um cirurgião plástico antes de oficializar a decisão e discutir os prós e contras de cada um deles. “A lipo é basicamente a retirada de gordura por meio de cânulas, por isso é mais indicada para pacientes jovens, que não passaram por gestações e não apresentam flacidez cutânea”, explica o cirurgião. 

Já na abdominoplastia, a musculatura do abdômen é reaproximada e devolve a firmeza ao local, por isso pacientes que perderam muito peso ou já passaram por gestações, que sofrem com algum problema de flacidez, devem optar por este procedimento. “Um dos maiores ônus da abdominoplastia, porém, é a cicatriz que permanece na parte inferior do abdômen, ao contrário da lipoaspiração, que deixa marcas bem menores”, opina o médico. 

Fonte: Bonde

beijos, Fran
02/02 2019
Plásticas
0 Comentários

Para quem é indicada a miniabdominoplastia?

Diferentemente da abdominoplastia clássica que retira muita pele (geralmente entre a cesárea e o umbigo), amarra a musculatura até a parte superior do abdômen (próximo às mamas), remodela o umbigo e trata a flacidez moderada a acentuada; a mini abdominoplastia é indicada apenas para casos de flacidez leve.

A miniabdominoplastia retira pouca pele (em torno de 3 cm, por isso a cicatriz é menor, ficando entre o tamanho de uma cesárea e da abdominoplastia clássica). A parte da musculatura amarrada é apenas a abaixo do umbigo. O umbigo não é remodelado como na abdominoplastia. Logo, para ter indicação de miniabdominoplastia, a paciente deve ter pouca pele em excesso, pouca flacidez muscular (apenas abaixo do umbigo). São geralmente pacientes magras e que se mantiveram magras na gestação, tendo engordado próximo dos 8 kg durante a gravidez.

A cirurgia é realizada com anestesia peridural ou raqui, dura em torno de 2 horas. A dor não costuma ser forte, sendo comum apenas um desconforto controlado por medicamentos comuns. O risco cirúrgico é menor que o de uma cesárea.

Fonte: Dicas de Mulher

beijos, Fran
31/01 2019
Topo