Mamoplastia
1 Comentário

Polimastia/Mama acessória

capa do post
 
 
A polimastia é caracterizada pela presença da glândula mamaria fora das mamas. Quando o bebê está embrião, as mamas são várias e distribuídas em uma linha que vai da axila até a região genital, mas elas atrofiam-se e restam apenas os dois seios habituais. Em algumas pessoas essa regressão não é perfeita e ainda podem restar outras mamas nessa linha inicial – isso gera a polimastia ou mama acessória.
A polimastia é classificada de acordo com a localização, sendo a mais comum em região axilar, mas também podem ser abdominais e pélvicas.
Como a localização mais comum é em região axilar, os sintomas são:
 
  • Presença de massa nas axilas unilateral ou bilateral
  • Dores e sensação de inchaço no local, principalmente no período pré-menstrual
  • Saída de leite quando há amamentação pelas mamas habituais.
 
Como raramente a polimastia localiza-se fora das axilas, o menos comum é a presença dessa mama rudimentar no abdome e região pélvica.
Causas
A polimastia é causada por uma falha na regressão do tecido mamário existente no período embrionário. No entanto, essa mama pode se atrofiar e não apresentar qualquer sinal de existência.
Em alguns casos, soma-se a essa falha de regressão o ganho de peso, o excesso de hormônios e prolactina, que contribuem para o desenvolvimento da mama acessória.
 
Diagnóstico de Polimastia
O diagnóstico de polimastia é feito basicamente com um exame físico realizado pelo médico especialista – que pode ser um mastologista ou ginecologista. Podem ser feitos outros exames para avaliar a estrutura dessa mama e, em alguns casos, triagem para câncer de mama. Veja os exames:
 
  • Ultrassonografia: mostra a presença de tecido mamário fora do seu sítio normal
  • Ressonância nuclear magnética e mamografia: podem auxiliar na melhor definição das mamas axilares.
Tratamento de Polimastia
Não existem medicamentos com resposta eficaz para polimastia. O tratamento cirúrgico vai depender do tamanho e localização da polimastia. Quando mamas acessórias axilares possuem tamanho médio a grande, o ideal é a retirada da glândula com pele. Se é uma polimastia de pequeno volume, pode-se obter sucesso com a lipoaspiração.
Atividade física e redução do peso podem reduzir o tamanho da polimastia e poupar a necessidade de cirurgia.
  • Gustavo Ventura, mastologista da Sociedade Brasileira de Mastologia e especialista Minha Vida – CRM 136671/SP
 Fonte: Minha Vida/minhavida.com.br
beijos, Fran
16/07 2015
Mamoplastia
0 Comentários

Nova preferência nacional: seios com formatos naturais

 
seios maior que outro
 
Silimed, fabricante de próteses de silicone, cria linha para atender essa demanda
que está cada vez mais solicitada nos consultórios de cirurgia plástica
Na década de 1980, o padrão de beleza e o número de mulheres que recorriam às
cirurgias plásticas eram bem diferentes do que é hoje. Nessa época, a preferência era
por seios menores e as próteses mais pedidas nos consultórios eram as de 120 e 140
ml. Na década de 1990, isso não mudou muito e as mais vendidas eram as de até 200
ml. Já nos anos 2000, os seios fartos, típico das americanas, caiu no gosto das
brasileiras e os tamanhos aumentaram bastante, entre 250 e 300 ml. Agora a moda
entre elas nos últimos anos é a busca por formatos cônicos e volumes menores dos
seios, deixando-os mais naturais.
Muitas celebridades brasileiras aderiram a essa nova tendência no ano passado e
trocaram suas próteses de silicone por outras menores, buscando uma aparência mais
natural. Carla Perez, por exemplo, em dezembro de 2014, trocou sua prótese de 340
ml por uma de 220 ml. A apresentadora Marina Mantega também reduziu o tamanho
seus seios, substituindo um implante mamário de 265 ml por outro de 120 ml. Além
delas, Gretchen, Lívia Andrade, Jaqueline Khury e Babi Rossi também diminuíram suas
próteses.
Para atender a essa demanda que cresce a cada ano – no Brasil foram realizadas 226
mil cirurgias de implantes de mama em 2013, segundo a Sociedade Internacional de
Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) – e deixar as mulheres mais satisfeitas com o seu
corpo, a Silimed, maior fabricante de implantes de silicone da América Latina e terceira
no ranking mundial do segmento, criou a linha Biodesign, composta por cinco perfis.
“Nos últimos 30 anos, assim como o gosto das mulheres, as próteses de silicone
mudaram bastante. Elas estão mais seguras, duráveis e adaptáveis aos diferentes tipos
de mama, além de apresentarem uma enorme gama de opções, considerando o
formato, revestimento, projeção, largura e altura. Para essa nova tendência das
mulheres, temos cinco perfis diferentes: Nuance, Natural, Enhance, Advance e
Maximum”, conta Márcio Bank, diretor de mercado interno da Silimed.
Atender as exigências do mercado é um dos propósitos dessa nova linha de próteses.
Os formatos cônicos caíram no gosto popular graças a sua maior projeção da mama,
sem aumentar o volume nas laterais e tirando aquele aspecto artificial arredondado
causado pela prótese redonda. “Como as mulheres brasileiras têm estatura mediana,
têm tórax e ombros mais estreitos, esse formato tem agradado bastante, pois não dá
aquele aspecto de grande volume e dá um bom formato e projeção do colo da mama”,
explica Márcio Bank. Para escolher o tipo ideal para o seu biotipo é preciso levar em
conta a largura das mamas, a espessura do tecido mamário, a distância intermamária,
a distância entre fúrcula e mamilo e a da margem inferior da auréola ao sulco
submamário. “O profissional tem papel fundamental nessa escolha. Ele pode ajudar a
ver uma prótese que seja proporcional às medidas do corpo, favorecendo a estética
corporal. É importante ainda sempre fazer o procedimento com um bom profissional,
fazer todos os exames necessários e optar por uma prótese segura”, lembra.
Outra vantagem dessa nova linha produzida pela Silimed é a disponibilidade de
implantes revestidos de poliuretano com emenda na base e sem bordas. Isso assegura
os melhores resultados garantindo assim a manutenção da forma do implante ao
longo do tempo mesmo em médio e longo prazo. O revestimento de poliuretano
provoca menores índices de contratura capsular, considerada estatisticamente a
complicação mais recorrente nos implantes mamários de silicone. “A incidência de
contratura com os implantes lisos chega aos 50%, já com os implantes texturizados se
encontra em torno de 8% a 15%. Com os implantes de poliuretano estes índices se
encontram em torno de 1% (para cirurgias estéticas) a 4% (em cirurgias reparadoras)”
em 10 anos, afirma Márcio Bank.
Conheça um pouco mais sobre cada perfil da linha Biodesign:
Nuance: possui base oval, perfil anatômico e polo inferior
Enhance: a prótese possui base oval, perfil anatômico e polo superior
Maximum: tem base redonda, perfil esférico e polo médio
Advance: formato cônico, com bordas finas e base estreita permite uma curva suave,
sem formar “degraus”
Divulgação: Rojas Comunicação
(11) 3675-4940 / 3873-6261
beijos, Fran
15/07 2015
Plásticas
0 Comentários

Bumbum: Preferência nacional e internacional

 
bunda689
 
 
Mulheres de todo o mundo estão cada vez mais interessadas no bumbum das
brasileiras. Gluteoplastia é hoje uma das técnicas mais procuradas nos consultórios
Não é de hoje que alguns padrões de beleza brasileiros são imitados em todo o
mundo. Como o Brasil é mundialmente conhecido por ter as mulheres com os glúteos
mais belos do mundo, tem servido de inspiração para as americanas e europeias. De
acordo com a brasileira Silimed, maior fabricante de implantes de silicone da América
Latina e terceira maior do mundo, os países que mais compraram glúteo em 2014
foram México, seguido de Colômbia, Argentina, Estados Unidos e República Dominicana.
Acompanhando esse interesse, a gluteoplastia cresceu bastante nos últimos anos.
Foram 30% a mais em todo o mundo. Apesar dos esforços nas academias de ginásticas,
dos exercícios localizados e das dietas, muitas mulheres não conseguem os resultados
desejados e acabam recorrendo à cirurgia plástica. A intervenção é indicada para quem
quase não tem bumbum ou para levantar o que a lei da gravidade fez cair, já que o
tempo enfraquece a musculatura. “O Brasil sai na frente nesse tipo de cirurgia. O
bumbum virou interesse em todo o mundo. Essa é uma tendência mundial, tanto que
estamos exportando muitas próteses. Temos 36 anos de experiência na fabricação de
implantes e desenvolvemos um modelo exclusivo, o glúteo de quartzo, que apresenta
um resultado estético muito natural”, explica Gabriel Robert, presidente da Silimed.
O implante de quartzo no glúteo é indicado para pessoas com muita flacidez nas
nádegas ou também para aquelas que desejam um volume maior. Apresentada na
forma oval e com projeção adequada para o padrão brasileiro, a prótese possui
inovações como sua superfície lisa produzida com nova tecnologia. Além disso, é
preenchido com exclusivo gel de silicone Biodesign, que apresenta alto grau de
coesividade e é capaz de moldar o corpo com eficiência, melhorando sua aparência e
mantendo seu aspecto natural. “Os estados brasileiros que mais compraram glúteo em
2014 foram São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. O tamanho mais desejado pelas
brasileiras é o de 300 ml, seguido do de 270 ml e o terceiro colocado é o de 240 ml”,
completa Gabriel Robert.
Técnica
Para atender ao padrão estético das brasileiras – que vem ganhando o mundo –, com
quadris e coxas mais largos que os ombros e o busto, o implante mais recomendado é
aquele que acompanhe as curvas e o quadril arredondado das mulheres. Existem
diversas técnicas para a colocação das próteses. A mais utilizada é a que é feita uma
incisão entre os glúteos com cerca de 5 cm. A partir desse corte, o silicone é colocado
dentro do músculo, pois ele a protege e possibilita um resultado mais natural. O pós-
operatório exige um repouso nas primeiras 24 horas. No dia seguinte já é possível
caminhar e retornar ao trabalho após 10 dias. A cicatriz é praticamente invisível.
Divulgação: Rojas Comunicação
(11) 3675-4940 / 3873-6261
beijos, Fran
13/07 2015
Topo