Plásticas
0 Comentários

O que é a cirurgia plástica íntima?

cirurgia-intima-plastica-paint

A cirurgia plástica íntima, ou ninfoplastia, tem por objetivo restaurar a confiança das mulheres que sofrem com uma imperfeição vaginal: pequenos lábios que excedem em tamanho, formando os grandes lábios.

O desconforto não é apenas estético. Em alguns casos há também incômodo físico, uma vez que o excesso de pele pode provocar dor ao praticar esportes de contato, como andar de bicicleta, ou durante as relações sexuais, inibindo o prazer e a sensibilidade. É possível que também haja dificuldade ao optar por roupas justas, como calcinhas e biquínis.

Como é realizada a cirurgia plástica íntima?

A cirurgia é realizada com anestesia local, uma técnica extremamente segura e simples, tendo duração total, em média, de 30 minutos. A paciente deixa o hospital logo após o procedimento e a recuperação é rápida. Para os pontos, são utilizados fios absorvíveis que caem espontaneamente, não necessitando a sua retirada. Não há interferência no prazer sexual ou em futuros partos normais. Entretanto, recomenda-se suspender as atividades físicas e evitar as relações sexuais durante trinta dias.

Fonte: Dream Plastic

beijos, Fran
30/10 2016
Plásticas
0 Comentários

Infecção Urinária: O que é e como prevenir esse mal? #OutubroRosa

outubro
Outubro está aí e a mais importante das campanhas de conscientização da saúde feminina também, pois o “Outubro Rosa” é mais do que compartilhar imagens com marca d’água de lacinhos rosas. É acima de tudo se informar e cuidar de sua saúde que é o bem mais precioso de sua vida.
A Infecção Urinária está no rol de assuntos pertinentes desta campanha e não é por menos, visto que é um dos males mais comuns e que podem afetar profundamente a saúde feminina. Sendo assim, parei e pensei sobre os problemas que ela pode provocar e logo percebi que essa vilã sabe muito bem se disfarçar…
A Infecção Urinária é…
Como toda infecção, a urinária possui como agente a bactéria Escherichia coli ou simplesmente E. coli que está presente no nosso intestino. E se você foi uma boa aluna de biologia na escola lembrará que a sua professora sempre falava que o ser humano abrigava muitas bactérias e antes que você fizesse cara de nojo ela continuava “não há nenhum problema, desde que cada uma esteja no seu devido lugar”, ou seja, se estiver em um local diferente logo surgirá alguma doença.
E com a E. coli não é diferente, basta só passar o papel higiênico na direção do ânus para a vagina, após ter feito xixi ou cocô para que os problemas comecem com uma simples coceira e depois progrida para a infecção em si.
Causas da Infecção Urinária

As causas mais comuns para gerarem a infecção são as que se seguem:

  • Diabetes;
  • Gravidez (devido ao aumento da progesterona, a qual favorece a estase urinária);
  • Obstrução urinária;
  • Doenças sexualmente transmissíveis;
  • Infecções de ordem ginecológica.

Principais sintomas causados pela Infecção Urinária
Os mais comuns são os seguintes:

  • Dificuldade para começar a micção;
  • Ardência e dor no momento de urinar;
  • Mau odor e coloração alterada da urina;
  • Aumento da vontade de urinar várias vezes ao dia, mas a mesma é em pequenas quantidades;
  • Aparecimento de sangue na urina.
  • Em alguns casos, a infecção pode chegar até os rins e quando isso acontece os sintomas são: calafrios, náuseas, dor lombar e febre.

Como prevenir a Infecção Urinária

Para evitar o surgimento desse mal você deve realizar estes procedimentos simples:

  • Não reter a urina quando sentir necessidade de ir ao banheiro;
  • Ingerir bastante líquido diariamente;
  • Urinar logo após a prática sexual;
  • Praticar sexo seguro (usar camisinha);
  • Quando for ao banheiro, limpar-se com o papel higiênico no sentido da vagina para o ânus;
  • Lavar-se após a evacuação;
  • Evitar o uso excessivo de roupas íntimas confeccionadas com tecido sintético;
  • Não utilizar absorvente íntimo por períodos demasiadamente longos.

Tratamento da Infecção Urinária

O médico poderá receitar algum antibiótico ou remédios como, por exemplo, o Norfloxacin. Nos casos mais severos, a paciente será internada para receber melhor atendimento como a administração venosa de medicamentos específicos.
Consequências causadas pela Infecção Urinária

Quando a infecção não é devidamente tratada poderá ocasionar em problemas como cistite, abscessos renais (que geram pus) ou na pior das hipóteses a falência da paciente, caso tenha apresentado imunidade muito baixa e agravantes como, por exemplo, a idade e outros problemas de saúde.
A Infecção Urinária não é brincadeira. É um mal disfarçado que não pode ser negligenciado. Então se você está consciente dos seus perigos compartilhe este artigo com suas amigas agora!
Denise Coelho é blogueira e médica ginecologista e obstetra. Apaixonada por internet e por sua profissão, criou o blog Portal Bebês para auxiliar mulheres, mamães ou não, a cuidarem melhor da saúde.

Fonte: Dra Denise Coelho

beijos, Fran
28/10 2016
Plásticas
0 Comentários

A crescente tendência de cirurgia plástica na adolescência – Cirurgia plástica pode ser feita por adolescentes?

jovens-paint1

Na era da modernidade, quem não quer ter um corpo com belas curvas? A cirurgia plástica é muito comentada na adolescência e quem quiser se submeter ao procedimento cirúrgico vai apresentar maiores riscos. Na verdade, o que acontece é completamente o contrário. Os adolescentes estão entre os grupos de menor risco. Uma vez que é mais raro alguém dessa idade apresentar problemas de saúde. É preciso lembrar que a adolescência, porém, é uma fase da vida em que acontecem várias transformações no corpo. Tanto no aspecto orgânico como no emocional. Os adolescentes passam por fases de aceitação de seu corpo e gênero. Além do estabelecimento de novas amizades e inserção nos mais diversos grupos sociais. A crescente popularização das cirurgias plásticas e do próprio padrão do corpo ideal acabaram ocupando os meios de comunicação, aguçando a busca pela autoimagem e aceitação social. Cirurgia plástica na adolescência O adolescente de hoje chega ao tamanho adulto já por volta de seus 15 anos (mulheres) ou 17 anos (homens). Isso significa que operar alguém nessa idade ou depois dos 20 seria a mesma coisa. Entre as cirurgias mais comuns entre adolescentes estão: o aumento ou diminuição dos seios, a ginecomastia (aumento do tecido mamário masculino), a lipoaspiração, a correção de orelhas e a rinoplastia (correção de nariz). O fenômeno da globalização modificou grande parte das expectativas dos adolescentes e o acesso às mais diversas fontes de informação contribui para a criação de novos modelos e modismos que surgem ao longo das gerações. O adolescente também apresenta características típicas como atemporalidade, imediatismo e um imaginário mais fantasioso. O que pode influenciar na intensidade de suas escolhas. É papel do profissional analisar se realmente faz se necessária uma intervenção cirúrgica ou se isso é reflexo da falta de aceitação do próprio adolescente. Cabe ao profissional reconhecer e desencorajar as decisões impulsivas ou impensadas. Uma vez que eles podem se arrepender ou frustrar-se com os resultados, o que pode desencadear problemas psicológicos no futuro. Amadurecimento psicológico Antes de mais nada, é preciso analisar se a motivação para a cirurgia é temporária ou se tem de fato algum fundamento. Além disso, o profissional irá verificar se realmente existe algum tipo de problema no corpo do paciente e se esse desejo de operar parte dele. Assim como muitos adultos chegam ao consultório com defeitos inexistentes ou expectativas exageradas. Os adolescentes podem estar fissurados por algo desnecessário ou transitório. A vontade de se submeter a um procedimento desse tipo deve partir do paciente e não de namorados, amigos ou parentes da família. A expectativa também deve estar dentro da realidade do paciente. No pós-operatório, a atenção deve ser redobrada. Os adolescentes, em geral, são impacientes e imediatistas e, portanto, é natural que eles queiram retornar à rotina antes do período de recuperação. A ansiedade não vai acelerar o processo de cicatrização e um retorno precoce a atividades que ainda não foram liberadas pelo médico pode trazer complicações que vão acabar piorando o quadro e estendendo a fase de recuperação. A cirurgia plástica na adolescência pode ter ótimos resultados se a região do corpo a ser tratada já tiver atingido seu desenvolvimento completo. Os pais precisam estar presentes durante todo o processo. Visto que a cirurgia só é permitida com a sua autorização. Antes da cirurgia, o adolescente deve passar por uma avaliação física e psicológica. Para poder refletir de forma mais consciente sobre sua cirurgia.

Fonte: Dra Luciana Pepino

beijos, Fran
27/10 2016
Topo