21 jul

Saber quando trocar as próteses de silicone é muito importante, embora nem todas se devam tocar, algumas próteses de silicone precisam ser trocadas.

Quando trocar a prótese de silicone

Próteses que apresentam defeito de fabricação ou que tenham prazo de validade como as mais antigas, devem ser trocadas em 8 a 12 anos, contudo, as mais novas, fabricadas a partir de 2005 podem durar, em média, 20 anos.
As próteses que são feitas de gel coesivo, geralmente, não necessitam ser trocadas tão cedo, embora uma revisão a cada 10 anos seja necessário. Esta revisão consiste em realizar somente uma ressonância magnética e exames de sangue para verificar se existe algum infecção.
A prótese de silicone deverá ser trocada sempre que representar danos à saúde do indivíduo, sejam eles físicos ou emocionais.

Por que trocar a prótese de silicone

Algumas próteses de silicone devem ser trocadas porque têm prazo de validade, estão rompidas ou mal posicionadas. Situações em que a prótese está gerando rugas ou pregas na pele podem ocorrer em próteses de grande tamanho, quando são colocadas em indivíduos com pele muito fina e com pouco tecido gorduroso para dar sustentação à pele.
A prótese necessitará ser trocada também se ela sofrer uma ruptura causada por acidentes automobilísticos, em caso de perfuração por “balas perdidas” ou acidente em esporte radical. Nestas situações mesmo que ela não apresente danos visíveis, uma ressonância magnética poderá evidenciar o problema.
Outra situação em que a prótese de silicone tenha que ser trocada é quando o indivíduo engorda ou emagrece muito e a prótese fica mal localizada, devido ao aumento da flacidez, neste caso, pode ser necessário ainda realizar um Lifting associado à colocação de uma nova prótese.

Consequências de não trocar a prótese de silicone

Se a prótese de silicone não for trocada dentro do período recomendado, pode haver uma pequena ruptura e gerar micro-vazamentos do silicone que gera inflamações nos tecidos vizinhos, podendo ser necessário até mesmo fazer uma raspagem para retirada de parte deste tecido.
Esta infecção quando não é devidamente tratada pode piorar e espalhar-se por uma grande área comprometendo ainda mais a saúde do indivíduo.

Onde trocar a prótese de silicone

A prótese de silicone deve ser trocada em meio hospitalar, com uma equipe de cirurgiões plásticos. O médico que colocou a prótese inicialmente pode realizar a cirurgia, mas não é obrigatório que o faça. Outro cirurgião plástico com os devidos conhecimentos poderá retirar a prótese antiga e colocar a nova prótese de silicone.
É importante que fique claro que nenhuma prótese de silicone tem duração eterna. Até o momento, todas as próteses de silicone devem ser trocadas num tempo variável entre 8 e 25 anos, por melhor que seja seu material.
Fonte:Tua Saúde
Por: Fran

21 jul

Seios turbinados: tire suas dúvidas sobre prótese de silicone

Certamente você já ouviu falar que a prótese de silicone pode atrapalhar o exame de mamografia, não é? Já deve também ter se perguntado: “Será que a prótese pode romper dentro dos seios? Para esclarecer de uma vez por todas as dúvidas que giram em torno da prótese de silicone, consultamos duas especialistas no assunto: a cirurgiã plástica Wanda Elizabeth Corrêa, coordenadora da Comissão de Silicone da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e membro da Câmara técnica sobre produtos e técnicas estéticas do Conselho Federal de Medicina, e a médica radiologista Fabiola Procaci Kestelman, do Instituto Nacional de Câncer (INCA), especializada em ressonância magnética. Confira:

Quais os exames que toda mulher que tem silicone deve fazer?

Independente da mulher possuir ou não implantes de silicone, o rastreamento do câncer de mama deve ser feito com mamografia a partir de 40 anos, anualmente, segundo a orientação da Sociedade Americana de Cancerologia. “Nos casos de mulheres com risco aumentado para câncer de mama (exemplo: história familiar fortemente positiva ou mutação genética que predispõe ao câncer de mama) pode-se associar a ultrassonografia e/ou ressonância magnética quando as mamas são densas”, lembra a radiologista.


Qual ou quais exames faço para avaliar a integridade do implante? 


O que esses exames previnem/diagnosticam?

Para avaliar a integridade do implante, o exame mais indicado é a ressonância magnética. Porém, a ultrassonografia, quando realizada por um radiologista especializado em mama, tem boa sensibilidade para detectar rupturas.

A mamografia tem sensibilidade alta para diagnosticar o carcinomas in situ, nos quais o tratamento oferece cura em até 100% dos casos. Esses, em grande parte dos casos, correspondem a microcalcificações na mamografia. “Carcinomas invasores pequenos também podem ser diagnosticados nas mamografias antes que sejam detectados na palpação das mamas feita pelo médico ou pela própria paciente. Tumores pequenos também têm alto índice de cura. A mamografia nestes casos pode mostrar um nódulo”, lembra Fabíola. Entretanto, um grande número de lesões diagnosticadas na mamografia e mesmo na ultrassonografia e ressonância magnética, correspondem a lesões benignas. Um exemplo é o fibroadenoma, que são nódulos de mama muito frequentes nas mulheres. Por isso os exames devem ser avaliados por médicos especializados antes de se optar por uma biópsia.

A prótese de silicone atrapalha a mamografia? O risco de câncer de mama aumenta com os implantes de silicone?


De maneira alguma. A mamografia pode ser realizada em pacientes que tenham implantes de silicone tanto abaixo da glândula como abaixo do músculo, sem prejuízo para a prótese e nem para a visualização de lesões mamográficas. “É importante, no entanto, o técnico ser informado sobre a existência do silicone. Assim, realizará a chamada ‘Manobra de Eklund’, em que se traciona a mama para expor ao raio-x apenas o tecido mamário”, diz Wanda Elizabeth Corrêa. Outro dado relevante é que implante de silicone não constitui fator de risco para desenvolvimento de câncer de mama.

Esses exames são particulares ou podem ser feitos na rede pública?

A mamografia está disponível na rede pública. O consenso do Instituto Nacional do Câncer orienta para controle do câncer que mulheres entre 50 e 69 anos façam mamografia bianual. Assim a rede pública deve oferecer mamografia para este grupo de mulheres. Com relação à ultrassonografia e ressonância magnética, a disponibilidade é variável de acordo com vários fatores, incluindo a região do país.


Se eu não trocar a prótese mamária a cada 5 anos, ela pode romper e o silicone se espalhar por todo o corpo?



Não há um prazo específico para a troca e, com as próteses atuais mais resistentes e seguras, dificilmente a troca ocorrerá antes dos 15 anos. É possível usá-las indefinidamente, pelo tempo que permanecerem íntegras, mas sempre acompanhando através dos exames acima citados. Em relação ao rompimento, as próteses utilizadas no Brasil são feitas de gel coesivo (espécie de “gelatina bem consistente”). Se cortadas ou rompidas, o conteúdo não escorre. Não há esse risco.

Os implantes de silicone têm prazo de validade?

Embora os implantes não tenham estimativa de vida útil reconhecido pelo meio científico, a única fabricante de próteses de silicone na América Latina, Silimed, define atualmente um período médio de dez anos. Tal parâmetro pode ser alterado caso surja uma razão que justifique. “Hoje, há diversas pacientes no Brasil e no exterior com o mesmo implante há mais de 15 anos sem quaisquer problemas”, diz a cirurgiã plástica.

Tenho silicone nas mamas. De quanto em quanto tempo devo ir ao meu médico?

Muitas mulheres acabam esquecendo as recomendações médicas após colocar a prótese. “A maioria só volta a procurar um especialista quando aparecem os sintomas de complicações. É importante fazer acompanhamento com cirurgião. O ideal é que, após 10 anos, o acompanhamento seja anual e que seja feito exame de ressonância magnética a cada dois anos”, finaliza Wanda.


Fonte: Corpo a corpo uol
Por: Fran

21 jul

 
Os cuidados são simples e previnem dificuldades de coagulação e complicações na anestesia
Ela nem sempre é levada a sério, como merece. Mas uma cirurgia plástica envolve tantos riscos como qualquer outro procedimento desse tipo. Os cuidados, sem dúvida, começam nos exames pós-operatórios: eletrocardiograma, hemograma, coagulograma, urina e glicemia, conforme solicitação do médico. Só isso, no entanto, é insuficiente para reduzir os riscos de que algo fuja aos planos. Pouco levada a sério,Há sempre um risco calculado para toda e qualquer atividade realizada e a função de um bom médico é reduzir esses riscos , afirma o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Regional São Paulo, João de Moraes Prado Neto.

Uma simples vitamina E ou uma substância para dar mais pique como o ginseng pode interferir no sucesso de uma cirurgia. Botox, preenchimentos e linhas de sustentação podem afetar de forma negativa o resultado e precisam ser eliminados por completo do organismo antes da intervenção cirúrgica. 

Abaixo, o cirurgião indica uma série de cuidados que, normalmente, passam despercebidos e que podem interferir no resultado da plástica, retardando a recuperação do paciente.

Medicamentos na berlinda 
Faça uma lista completa de todos os medicamentos que você vem tomando, antes de enfrentar o bisturi. O ácido acetilsalicílico (componente da aspirina), antiinflamatórios e alguns antidepressivos são incompatíveis com algumas drogas anestésicas usadas no pré-operatório. Mais recentemente, descobriu-se que o ginseng, a gincobiloba, e a vitamina E podem interferir na coagulação do sangue, causando hemorragias , afirma o cirurgião. 

Ele afirma que o consumo desses medicamentos deve ser suspenso 15 dias antes da realização da cirurgia, para que o corpo metabolize totalmente a droga. Os cuidados precisam ser redobrados no caso do ginseng, que demora para ser eliminado no organismo , explica o cirurgião plástico Cecin Daoub Yacoub, também da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Regional São Paulo. 

Pacientes de risco 
Os fumantes são considerados pacientes de risco para a realização de qualquer tipo de intervenção cirúrgica, bem como os obesos e pessoas com grande quantidade de varizes. As mulheres que fazem uso de hormônios para reposição na fase da menopausa também merecem atenção redobrada. Esses pacientes apresentam grande chance de desenvolverem uma embolia durante a realização de cirurgias consideradas de grande porte , explica Prado Neto. 

No caso das fumantes que utilizam anticoncepcionais , o risco de formação de coágulos é ainda maior. O médico é enfático ao afirmar que não realiza cirurgia de abdômen e lifting facial nesse grupo. Na plástica de abdômen há muitas artérias seccionadas tanto verticalmente quanto horizontalmente, por isso há a necessidade do paciente possuir boas artérias que nutram o local. No caso dos fumantes, as artérias se fecham reduzindo em 50% o fluxo de oxigênio , afirma o presidente da SBCP-SP. 

Atenção especial para eles 
Alguns pacientes necessitam de atenção especial antes e durante a cirurgia, precisando ser assistidos por outro médico. É o caso de quem apresenta problemas cardíacos e precisa de um cardiologista durante a cirurgia. Como também no caso de pacientes diabéticos graves, que demandam um endocrinologista na cirurgia e no pós-operatório. Não há nada que impeça esses pacientes de se submeterem a uma cirurgia plástica. Mas, usualmente, solicito que consultem também um especialista para que ele peça mais exames , afirma Yacoub.

Cuidados específicos 
A plástica de pálpebra (blefaroplastia) exige exames especiais para verificar a existência de catarata, glaucoma, entre outras enfermidades. No caso da cirurgia de nariz, o cirurgião plástico fazer uma análise do órgão do ponto de vista funcional, além de solicitar se necessário, exames mais aprofundados ao otorrinolaringologista.

Cirurgia proibidaHá casos em que é praticamente impossível realizar a cirurgia. Segundo a Sociedade Americana de Anestesiologia, os pacientes são divididos em cinco classes de acordo com o risco que apresentam ao se submeterem a uma cirurgia. Essa classificação vai de ASA 1 a ASA 5, e os classificados acima de ASA 3 apresentam um alto risco para a realização de intervenções por apresentarem um histórico extenso de doenças. Ocorrências como enfarte, angioplastia, cateterismo, diabetes, hipertensão e até idade avançada compõem um histórico de risco. 

Houve um caso bem incomum em que o paciente realizou todos os exames de rotina solicitados por mim e nada foi identificado. No momento exato do primeiro corte, em função de minha experiência, percebi um sangramento em excesso, e não operei. Mais tarde, após solicitar um exame mais abrangente, foi identificada nessa paciente uma disfunção rara de coagulação no sangue. Cabe também ao médico ter bom senso e decidir quando deve parar , complementa Prado Neto. De cada 100 pacientes que procuram um médico cirurgião plástico, cerca de 2% são vetados. 

Botox e preenchimentos 
Nos casos de pacientes que estão sob efeito de botox e preenchimentos, é necessário aguardar passar o efeito das substâncias. A plástica só pode ser realizada seis meses depois de uma aplicação de botox (tempo necessário para que o medicamente deixe de agir sob a face). É a partir dos contornos reais do rosto do paciente que o cirurgião plástico pode atuar com mais segurança de resultados positivos. 

Nos casos em que o paciente possui fios de sustentação no rosto, a cirurgia é ainda mais delicada. Quando descolamos a pele da face, encontramos uma trama de fios o que limita muito o médico na realização da cirurgia de lifting , explica o médico. 

Riscos de infecção 
São raros os casos de infecção quando a cirurgia é realizada em um hospital que obedece todas as normas (equipamentos de anestesia atualizados, monitores multiparamétricos, que servem para verificação permanente de pressão, freqüência cardíaca, respiração, saturação de oxigênio e de CO2 e traçado eletrocardiográfico, ou seja, monitoração do coração). 

Além disso, é preciso um ressuscitador e desfibrilador para casos de emergência, como uma parada cardiorrespiratória. Um anestesista competente, zeloso e que permaneça ao lado do paciente durante a cirurgia, qualquer que seja a anestesia (geral, peridural ou sedação) também é imprescindível. 

Nem pense em fazer uma plástica num consultório, sem as mínimas condições de higiene e médicos capacitados para atenderem às necessidades de seus pacientes. Nessas intermediadoras, muitas vezes o médico recebe, em cima da hora, a lista de pacientes que tem para operar e não sabe sequer quem as marcou, não tem um historio do paciente , afirma o presidente da Regional de São Paulo. O sofrimento de retalhos (possível necrose) pode ocorrer devido a um curativo mal feito, mas também tem baixo indicie de ocorrência. 

Cuidados no pós-operatório 
A panturrilha do paciente é de vital importância na evolução do pós-operatório. As veias indicam a força que o sangue venoso tem, pois haverá uma compressão do abdômen e, se as veias encontrarem resistência nessa compressão, há uma tromboembolia pulmonar. 

Há duas formas para diminuir os riscos de tromboembolia de origem venosa (coágulo de sangue): o paciente não deve permanecer na mesma posição no leito e precisa caminhar lentamente no dia seguinte à cirurgia. Outro método utilizado, inclusive por Prado Neto, é uma bomba que massageia as pernas dos recém-operados, facilitando a circulação sangue e evitando o risco de complicações.

Termo de responsabilidade 
Por respeito ao paciente e pelo compromisso de transparência, o médico não só deve informar verbalmente todos os riscos e limitações pelo quais o paciente vai passar, como deve lhe entregar um termo de consentimento para que ele tome ciência dos fatos e assine o documento. Isto é a prova inabalável da ética de um profissional que informa ao paciente os riscos calculados de qualquer procedimento cirúrgico.

Fonte:http://www.minhavida.com.br/saude/materias/3061-evite-alguns-medicamentos-e-vitaminas-antes-da-cirurgia-plastica-para-diminuir-os-riscos
Por: Fran

20 jul


A obsessão masculina por uma das partes da figura feminina, os seios, tem raízes culturais, biológicas e emocionais. É isso o que afirmam aoHuffington PostLarry Young, especialista em neurociência, e Brian Alexander, autores do livro The Chemistry Between Us: Love, Sex and the Sciense of Attraction (A química entre nós: amor, sexo e a ciência da atração)

A razão principal para a atração pelos seios começa na primeira infância. Um hormônio liberado durante a amamentação ajuda a firmar laços entre a mãe e o bebê e age de forma semelhante na vida adulta permitindo a formação de uma ligação entre o casal.

De acordo com Larry, quando a mulher dá à luz o bebê inicia estímulos elaborados na região, enviando sinais ao cérebro, que libera ocitocina do hipotálamo para favorecer a amamentação. Esse também é o hormônio responsável por manter a atenção da mãe focada no bebê. Por isso, o recém-nascido torna-se a coisa mais importante do mundo para a mulher e torna o ato de cuidar dele e nutri-lo uma experiência satisfatória, formando o vínculo mais forte e duradouro de todos. “E essencialmente quando um parceiro estimula os seios femininos se iniciam a mesma série de eventos cerebrais que aconteceram na amamentação”, explica.

Apesar de a amamentação estar presente na evolução de todos os mamíferos, os humanos são os únicos que desenvolvem uma atração sexual em relação aos seios. Apenas na raça humana, também, os seios se desenvolvem e aumentam nas mulheres durante a puberdade. Os pesquisadores destacam ainda que os humanos são os únicos que mantêm relações sexuais olhando nos olhos uns dos outros, traço que se desenvolveu do circuito cerebral criado da relação entre a mãe e o recém-nascido.

Segundo Larry, uma pesquisa realizada pelas Universidades de Sheffield e do Texas sobre estimulação na região dos seios mostra que carícias são pedidas por 82% das mulheres. O estudo ainda aponta que 60% dos homens também acham agradável serem estimulados nessa região.

Fonte: Live Science

Por: Fran

19 jul

Os Tipos de Próteses de Silicone disponíveis / Tipos Prótese de Mama


Existem diversos tipos de próteses de silicone disponiveis, variando em termos de tamanho, textura,forma,perfil, marcas, etc… Nesse tópico iremos discutir sobre os diversos tipos de prótese de mama de silicone e, como a correta escolha do tipo ideal de prótese mamaria de silicone para cada caso é importante para obtenção de um resultado final estético adequado para a paciente.

Tipos de Perfil da Prótese de Silicone

- Baixo:

esses tipos de proteses de silicone possuem uma base mais larga e são mais baixas, sendo portanto mais indicadas quando se deseja uma maior projeção do colo mamário e pouca projeção para frente. São pouco utilizadas na prática.

- Alto:

essas proteses de silicone possuem uma base menor e são mais altas, sendo portanto melhor indicadas quando se deseja maior projeção dos seios para frente sem tanta necessidade de preenchimento do colo mamário. As proteses de silicone de perfil alto são as mais requisitadas pela maioria das pacientes.

* Duas próteses de silicone podem ter o mesmo tamanho (volume) mas podem terperfis diferentes, portanto quando se diz:

” Dr., minha amiga colocou tal tamanho de protese de silicone na mama e eu adorei ”, é importante que a paciente saiba também qual foi o perfil da protese de mama utilizada e qual a marca da protese de silicone, pois existe uma diferença significativa entre uma prótese de silicone de 300 ml de perfil baixo para uma prótese de silicone de 300ml de perfil alto, assim como existem diferenças de dimensões entre uma marca e outra de protese de silicone. Para que você tenha uma noção melhor, basta imaginar uma lata de atum e uma lata de cerveja . Ambas possuem 300ml, porem uma é mais alta e estreita enquanto a outra é mais baixa e larga.”

* diferença entre prótese de silicone de perfil baixo e alto

- perfil anatômico:

essas proteses de silicone têm um perfil “em gota” e são indicadas para aquelas pacientes que têm mamas com formas e contornos estéticos e se deseja um aumento proporcional das mesmas. Possui projeção frontal menor que as proteses de silicone de perfil alto.

A escolha do tipo de perfil de protese de silicone ideal para cada paciente é uma decisão tão importante quanto a escolha do tamanho da protese de silicone, pois o perfil da protese de mama é que será o responsável pelo formato das novas mamas. Uma intercorrência muito comum é o contornos da prótese de silicone muito evidente nos colos, principalmente no meio do colo (“próteses marcadas” ). Isso ocorre geralmente quando a paciente diz ao cirurgião plastico que desejaria mamas mais unidas. Ocorre que o descolamento medial para inclusão de protese de silicone nos seios, NUNCA deve ultrapassar o limite do tecido mamário, ou seja, mamas separadas, continuarão separadas, talvez um pouco menos, mas ainda sim separadas.

E mamas que são unidas no centro ficarão um pouco mais unidas após a cirurgia de implante de protese de silicone

Devemos sempre respeitar o limite de área da glandula mamaria . Se o cirurgião plastico tentar descolar alem do limite da glândula mamaria, irá descolar apenas pele e portanto, a protese de mama de silicone ficara recoberta apenas por pele tornando-a evidente. Numa cirurgia plastica de mama bem sucedida, mesmo quando essas mamas são pressionadas para o centro, não há evidencia de próteses. Tal fato deve ser explicado e mostrado através de fotos previamente para a paciente para que a mesma não tenha uma expectativa diferente e alem da realidade que pode ser oferecida. É mais honesto,ético e transparente,o cirurgião plastico informar previamente para a paciente que a cirurgia não deixara suas mamas mais unidas do que frustrá-la ou até mesmo causar uma seqüela estética ao tentar agradá-la.

Quanto ao tipo de superfície da prótese de silicone

Antes de começarmos a discutir sobre os diversos tipos de superfícies existentes nas proteses de silicone, é importante que se entenda o porque da existencia das superfícies diferentes nas proteses de silicone. Devido a uma reação natural do corpo humano, uma cápsula fibrosa é formada ao redor de corpos estranhos, inclusive implantes de protese de silicone. Essa cápsula fibrosa pode ficar dura e contrair o implante. Essa reação de contratura exagerada da capsula pode deformar o implante mamario de silicone alterando a forma da mama. Chamamos essa complicação de contratura capsular. Os tipos de superfícies das próteses mamárias de silicone foram sendo alterados à medida em que se tentava uma solução para a contratura capsular. O índice de ocorrência de contratura capsular está relacionado entre outros, à superfície dos implantes de silicone. As primeiras proteses de mama de silicone fabricadas tinham a superfície lisa, que possuem o maior indice de contratura capsular. A partir de meados dos anos setenta surgiram as proteses de mama revestidas de espuma de poliuretano. E, finalmente, na década de 80 surgiram os implantes de protese de silicone texturizados numa tentativa de imitar o efeito rugoso da espuma de poliuretano. Atualmente , na maioria dos casos se utiliza as proteses de silicone texturizadas. 

Sobre os tipos de superfícies das próteses de silicone mamarias:

- implante liso: possui o maior índice de contratura capsular (5 a 6%).

- implante texturizado:

possui superfície com micro-rugosidades visando “quebrar” a formação da cápsula. Apresenta índices menores de contratura capsular do que as proteses de silicone lisas (2 a 3%). São as proteses de silicone mais utilizadas nas cirurgias de mama.

- implante de poliuretano:

possui sua superfície revestida com espuma de poliuretano. Apresenta os menores índices de contratura capsular (0,5%) entre as próteses de mama de silicone existentes, porém é mais sensível à palpação e possui maiores chances de dobras. Utilizada geralmente após contratura capsular intensa com prótese de silicone texturizada.

Quanto ao tamanho ideal da prótese de silicone nos seios

Talvez a dúvida mais freqüente das pacientes em relação a cirurgia plastica de aumento dos seios, seja qual o tamanho e forma ideais de prótese silicone que ela devera colocar ? Esse realmente é um dos ponto mais delicado da cirurgia de implante de protese de silicone. Primeiramente, a paciente deve ter uma conversa aberta com seu cirurgião, que irá tirar todas as suas dúvidas sobre a cirurgia, avaliará seu perfil físico, psicológico, cicatrização e principalmente a proporcionalidade de suas formas. O cirurgião também realizará várias fotos pré-operatórias e lhe mostrará diversos resultados de cirurgias de implante de protese de silicone antes/depois de modo a melhor orientá-la nessa delicada escolha. Por fim, o cirurgião deve sempre respeitar o desejo da paciente, ou seja, a decisão deve ser de certa forma democrática, porém com limitações, tentando sempre alertar a paciente quanto a possiveis exageros.

“Um bom tamanho de protese de silicone é aquele que melhor se harmoniza com a silhueta e o contorno corporal da paciente, de modo que ninguém é capaz de perceber que se trata de uma prótese de silicone, dando naturalidade ao resultado final. Deve-se tomar cuidado para não cruzar a tênue linha, que separa a normalidade estética do exagero e artificialidade”.

O volume das próteses de silicone para implante nos seios é medido em centímetros cúbicos (cc) comumente chamados de mililitros (ml). Existe uma grande variação de tamanho entre próteses de mama de silicone, indo desde 60cc até 500cc. Os tamanhos das próteses de silicone geralmente progridem de 30 em 30cc e os mais utilizados estão entre 200cc e 300cc.

* Veja nessa ilustração comparando o volume das próteses de silicone X xícaras de café

Visitando os sites dos fabricantes de proteses de silicone nos links abaixo, você poderá ver todas as variações de tamanhos de protese de silicone relativos a cada marca.

Quanto ao tipo de preenchimento das próteses de silicone mamárias

As próteses de mama podem estar preenchidas com:

- solução salina:

colocam-se as próteses vazias (apenas os invólucros) e depois, com uma seringa e soro fisiologico vai se preenchendo a protese até se chegar ao tamanho de mama desejado. Utilizada mais nos EUA e Canadá pois nesses países até pouco tempo ainda era proibido o uso de silicone gel. Possui o inconveniente de se notar esse liquido quando em movimento, ser mais dura e artificial ao toque e possuir o risco de vazamento da solução salina.

- Gel de silicone:

É o preenchimento de prótese mamaria mais utilizado em todo mundo. As próteses de mama mais modernas, utilizam gel de silicone coesivo e não mais liquido. Sendo assim, mesmo que ocorra uma ruptura traumática da prótese, o silicone não irá vazar. À palpação, esses implantes mamarios de silicone são imperceptíveis por apresentar densidade e textura bem similares as do tecido mamário.

Quanto às marca da próteses de silicone

Existem inúmeras marcas de proteses de silicone no mercado , como Silimed, Mentor, Eurosilicone, McGhan, Perthese , PIP. Durante sua consulta de avaliação, o cirurgião irá demonstrar alguns modelos de proteses disponíveis. Para saber mais sobre os diversos tipos de protese de silicone, visite o site dos fabricantes nos sites abaixo :

- lifesil : http://www.lifesil.com/

- silimed: http://www.silimedprodutos.com.br

- mentor : http://www.mentorcorp.com/

- natrelle : http://www.natrelle.com

- eurosilicone: http://www.eurosilicone.com

Fonte:httpprotesesilicone.com

Por: Fran
Página 74 de 111« Primeira...102030...7273747576...8090100...Última »