Plásticas
0 Comentários

Quem tem queloide pode fazer cirurgia plástica?

Essa é uma dúvida geral das pessoas que sonham com a cirurgia. Mas afinal, corre o risco dessa cicatriz com alto colágeno aparecer após um procedimento de mamoplastia de aumento ou abdominoplastia? Sim, pode acontecer.

Mas calma! Isso não impede de você realizar a sua tão sonhada plástica.

O primeiro passo é escolher um cirurgião especialista, com muita experiência em casos como esses e que seja membro da SBCP.

Levando em consideração esses requisitos para a escolha do profissional, a chance dele saber como tratar queloide, caso apareça em você, será bem maior do que de um médico recém-formado. Por isso, dedique um tempo na decisão pelo médico ideal.

Outro ponto importante é informar ao cirurgião, durante a fase de pré-operatório, sobre o seu problema de cicatrização. Pois, estando ciente, ele vai indicar os cuidados necessários para evitar a recorrência de problemas durante o pós-operatório.

Algumas orientações básicas são:

  • Fazer repouso da área operada e evitar esforço ou atrito
  • Massagear a região da cicatriz com uma pomada hidratante
  • Evitar o sol

 

Quando tudo isso não for suficiente, o médico indica outros recursos, como a fita de silicone para cicatriz, a aplicação de corticoide em queloide ou a compressão local com bandanas elásticas.

Se mesmo assim não houver melhora, então a recomendação será a cirurgia para remover queloide e sessões de betaterapia.

Quando sofremos algum machucado, corte ou ferimento profundo, o nosso organismo cria uma cicatriz normal para reparar o tecido. A formação de colágeno, proteína responsável pela cicatrização, permite criar uma nova camada de pele.

É nesse processo que surge essa cicatriz com aspecto diferente, que nada mais é do que uma produção exagerada de colágeno.

Quando acontece esse excesso há um crescimento maior do tecido, formando uma cicatriz em alto relevo.

Sua aparência inicialmente será rosada e plana, mas com o passar do tempo, essa lesão vai ficar com um tom avermelhado, aspecto endurecido e o seu tamanho vai aumentar muito, até ultrapassar os limites da ferida original.

Ao contrário das cicatrizes, os queloides não desaparecem ao longo do tempo. Vale ressaltar que eles não são contagiosos e não trazem danos à saúde.

 

O que causa queloide?

 

Para que um queloide se desenvolva, basta que o indivíduo apresente alguma pré-disposição genética e sofra uma lesão na pele, um simples arranhão pode ser o suficiente para a sua formação.

Embora, geralmente, ocorram no local de uma lesão, eles também podem surgir espontaneamente. Por isso, qualquer parte externa do corpo está vulnerável, basta ter algum ferimento já cicatrizado, por exemplo:

  • Acnes
  • Queimaduras
  • Furos nas orelhas
  • Piercings
  • Cortes cirúrgicos
  • Tatuagens
  • Locais de vacinação
  • Doenças como catapora

 

Quem pode ter queloide?

 

A ciência ainda não descobriu exatamente o que leva uma pessoa a criar queloide.

O que se sabe é que há maior incidência dessa anomalia em adolescentes, adultos e em mulheres após a gravidez. Também são bem comuns em negros, asiáticos e hispânicos.

 

Como saber se tenho queloide?

 

Infelizmente, não é possível detectar a pré-disposição para formação de queloides até que essa anomalia se manifeste.

Sendo assim, você precisa observar se após se machucar, o local fica com uma cicatrização mais saliente e com aspecto rosado. Além disso, se você perceber que a sua cicatriz está coçando esse também pode ser um sinal.

Costumam nascer na região dos ombros, tórax, orelhas e face.

Observe os seguintes sintomas:

  • A cicatriz não fica mais discreta após dois meses, pelo contrário, ela ficou maior do que a ferida original.
  • A cicatriz ficou, inicialmente, com um aspecto rosado e depois de um tempo escureceu.

 

Queloide doí?

 

Dependendo da região em que está localizado ou se está cronicamente irritado, então pode sim doer e se tornar muito incômodo.

Além disso, se nascer em locais com articulação, também pode interferir no movimento do corpo.

 

Queloide tem cura?

 

Por enquanto, ainda não foi encontrada uma solução definitiva para eliminar o queloide do organismo.

O que pode ser feito é recorrer a tratamentos que amenizam a aparência da cicatriz. Entretanto, aqueles que são maiores podem se tornar mais difíceis de tratar e são esteticamente desagradáveis.

 

Que tipos de médicos realizam o tratamento para queloide?

 

O cirurgião plástico ou o médico dermatologista pode diagnosticar. Porém, antes de passar o tratamento para queloide, será feita uma análise baseada na localização e na aparência da cicatriz, além de observar como ela se desenvolve ao longo do tempo.

Fonte: Dream Plastic

beijos, Fran
08/02 2018
Mamoplastia
0 Comentários

Qual a diferença entre Prótese e Implante?

protese de silicone

Em termos gerais, a Prótese é um objeto usado para substituição de um membro, na sua totalidade ou em parte, por uma peça artificial, quando ocorre a extração ou amputação do mesmo. Por exemplo: uma pessoa sofre um trauma que acarreta perda de uma de suas mãos. Uma das alternativas é utilizar uma prótese de mão, feita de material sintético que pode ter, inclusive, movimentos estimulados pelos músculos que restaram no coto da amputação. Dessa forma, uma Prótese de mãos, seria na realidade, um material sintético que seria semelhante à outra mão e teria função de cobrir a sequela de um trauma.

Por outro lado, o Implante é o objeto acrescentado ou introduzido em alguma região do corpo. No caso do Implante de Silicone nas Mamas, por exemplo, o que se acrescenta é o volume, pois a mama já existe, obtendo então somente um volume maior.

Portanto, o termo correto a ser usado quando tratamos da Cirurgia Plástica de Mamoplastia de Aumento é: Implante de Silicone e não Prótese de Silicone. Porém o uso do termo ‘Prótese de Silicone’ para se referir à Cirurgia de Mamoplastia de Aumento ou de Implantes de Silicone se popularizou. Atualmente, principalmente pessoas da área médica utilizam o termo Implante de Silicone para se referir a cirurgia de silicone.

Fonte:  cirurgiaplasticacampogrande

beijos, Fran
04/02 2018
Plásticas
0 Comentários

O tratamento para cicatrizes

Mas o que uma cicatriz significa para você? Para algumas pessoas, essa marca pode trazer várias recordações, tanto boas quanto ruins. Seja aquela que surgiu depois de uma travessura de criança ou até mesmo por uma queimadura após a tentativa de ser uma chefe de cozinha.

Não importa o motivo, mas é difícil você encontrar uma pessoa que não tenha pelo menos uma cicatriz no corpo. Entretanto, há aquelas enormes que causam bastante constrangimento, principalmente, se tiverem localizadas em regiões expostas, como no rosto, braço e barriga.

Quando você tem uma marca que lhe causa constrangimento é comum buscar alternativas, especialmente, o tratamento para cicatrizes.

Entender quais métodos realmente funcionam fará você ter sucesso na correção e ainda poderá sair por aí sem ninguém questionar ou perguntar o que é aquela marca esquisita.

Porém, se você não conhece os tipos de cicatrizes, então não saberá qual tratamento será mais eficaz. Isso faz você perder tempo, gastar dinheiro e ter dores de cabeça, sem contar que vai deixá-la longe do seu objetivo final.

Por exemplo, muita gente pensa que a pomada para cicatrização faz milagres, mas será mesmo?

Antes de qualquer coisa, você precisa entender como são formadas as cicatrizes.

A cicatrização faz parte da reconstrução do tecido, ou seja, após você se machucar o organismo se encarrega de formar uma nova pele para reparar aquela região lesionada. E, isso ocorre com qualquer pessoa, entretanto, cada organismo reage de uma forma distinta.

 

A partir disso, surgem os diferentes níveis e tipos de cicatrizes, que são:

  • Normotróficas: são aquelas marcas que mantém o mesmo aspecto da pele ao redor e a sua marca é quase imperceptível.
  • Atróficas: são comuns nos casos de acne e a sua aparência se assemelha a uma espécie de buraco na pele.
  • Hipertrófica: surgem quando o organismo produz colágenos de forma desordenada e por isso fica com uma textura mais elevada.
  • Queloides: essa marca não para de crescer, ela pode ficar bem grande e se tornar muito incômoda.

 

Quando as pessoas se perguntam: o que é bom para cicatrização? Logo pensam em uma pomada que apareceu nos comerciais da TV ou naquela que foi indicada por uma amiga. Mas é importante saber: o tratamento para cicatrizes deve ser indicado por um médico especialista no assunto, que pode ser um cirurgião plástico ou um dermatologista.

Pois, assim como existem diferentes tipos de cicatrizes, também podemos encontrar diversos tratamentos para tentar corrigi-las.

No entanto, qualquer tratamento para cicatrizes apenas consegue deixá-las mais discretas, sem a capacidade de fazê-las sumirem da pele. Isso é impossível!

Portanto, não existe uma pomada para tirar cicatriz, já que a sua função não é remover, mas acelerar o processo para o fechamento de cortes cirúrgicos, feridas causadas por pancadas ou curar rapidamente uma cicatriz de queimadura.

Além disso, o uso de pomada para cicatrização ajuda a prevenir infecções, reduzir a dor e, em alguns casos, até evita a formação de anomalias.

Mas lembre-se: use pomadas somente com a indicação de um médico, porque algumas marcas possuem substâncias específicas que não devem ser utilizadas em qualquer corte e podem até irritar a região.

Outro ponto importante, as pomadas para cicatrizar não vão fazer efeito na pele que estiver totalmente curada, ou seja, quando a cicatriz estiver endurecida por dentro sem aquela casquinha de proteção.

Agora, falando em cuidados após a cirurgia plástica, aqui estão alguns essenciais:

  • Pare de fumar! O cigarro é inimigo da boa cicatrização.
  • Faça o repouso necessário para não forçar os pontos.
  • Evite expor o local da cicatriz ao sol por pelo menos trinta dias.

 

É comum ficar empolgada para ver o resultado final, mas acalme-se! O processo de cicatrização é lento. O local pode ficar avermelhado por vários meses e só depois de um ano será possível ver um aspecto melhor.

Em alguns casos, o médico complementa as orientações com um tratamento extra, ou seja, indica o uso de pomada para cicatrizar o corte de cirurgia ou até mesmo uma fita de silicone para cicatriz de abdominoplastia.

Mas tudo vai depender, obviamente, do organismo de cada pessoa. Pois, se a paciente já tem tendência a criar queloide, então as orientações serão bem específicas para evitar o seu desenvolvimento.

De qualquer forma, na primeira consulta de retorno após a cirurgia de abdominoplastia, a paciente conversa com o seu cirurgião e também com a equipe de enfermagem que explicam os cuidados básicos para ter uma boa recuperação.

Fonte: Dream Plastic

beijos, Fran
03/02 2018
12345
Topo