Plásticas
1 Comentário

A importância da cinta no pós operatório

 

 

Quem pretende realizar uma cirurgia plástica precisa estar atento à importância dos cuidados pós-operatórios. Eles são quase tão fundamentais para o resultado final da plástica quanto o próprio procedimento cirúrgico. Um dos itens indispensáveis para um bom pós-operatório são as malhas e cintas compressivas. Elas ajudam na recuperação dos tecidos, contribuem para uma boa cicatrização e protegem a pele da região operada. Além disso, essas peças promovem uma significativa melhora nos sistemas circulatórios sangüíneo e linfático, o que é muito importante para o restabelecimento dos tecidos traumatizados. O papel das malhas pós-cirúrgicas é exercer uma compressão suave e constante, de modo a compactar os tecidos traumatizados durante a cirurgia. Dessa forma, o espaço intercelular também fica comprimido e a água não tem onde se acumular. Na prática, isso significa menos inchaço, e ajuda na cicatrização.
Isso ocorre porque, na medida em que se diminui o excesso de líquido acumulado entre as células, elas ficam mais próximas umas das outras, contribuindo para a formação de uma cicatriz mais fina e uniforme, evitando o surgimento de quelóides. Uma boa malha pós-cirúrgica deve ter um bom poder de compressão. A peça deve possuir elasticidade em todos os sentidos (no comprimento e nas laterais) e costuras do lado de fora, para não agredir a pele. Na hora da escolha, é indispensável seguir as orientações do médico. Só ele pode definir qual o modelo adequado para cada cirurgia e qual o tamanho ideal para comprimir, sem apertar demasiadamente. “O paciente, quando anestesiado, não consegue perceber se a compressão da malha está adequada. Isso é perigoso, pois se a peça apertar demais, pode impedir a circulação e até causar necrose tecidual”, adverte o cirurgião. Normalmente, a malha compressiva é colocada ainda no centro cirúrgico, e deve ser usada por um ou dois meses, conforme o caso. Durante esse período, a peça precisa ser ajustada, pois ela vai se tornando mais larga conforme o corpo desincha. Uma boa dica é verificar se a empresa que a comercializa oferece ajuste gratuito. O uso da cinta modeladora também demanda alguns cuidados especiais, por ser um material que aperta continuamente a pele, a mesma nunca deve ficar dobrada embaixo da cinta. Isso pode fazer surgir uma marca no local que pode ser tornar muito difícil de ser removida depois. Para evitar problemas como esse, é só usar o modelador adequadamente, com a placa de contensão por baixo. O período de uso da cinta pode variar de paciente para paciente, dependendo da cicatrização, da flacidez e da acomodação da pele ao novo contorno corporal.

Matéria da Revista Plástica e Beleza

beijos, Fran
22/08 2017
Escreva seu comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!

1 comentário
  1. vanda de camargo queiroz - 09/09/2017

    quero comprar esta calça cirurgica, quero saber se tem o numero xg, com esta mesma abertura frontal

Topo